Agora

Mulheres sambadeiras contam suas histórias em podcast de 5 episódios

 


Estreia na próxima quarta-feira (08 de março), Dia Internacional da Mulher, o Podcast “Elas contem o  seu samba”. Uma série de 5 episódios com cinco Mulheres ligadas ao Samba de Roda, protagonistas sambadeiras, que escreveram suas histórias nas rodas de samba e leva-o para todos os cantos da Bahia, do Brasil e do Mundo. O lançamento acontece nas plataformas Youtube, Spotify e SoudClound, a partir das 19h. O link para acesso estará disponível no Instagram @mulheresambadeiras. 

 

Os episódios tem como personagens Mestra Nicinha do Samba (In Memoriam) de Santo Amaro, Santinha de Acupe, Rita da Barquinha de Bom Jesus dos Pobres, Zélia do Prato de São Braz e Fiita de Teodoro Sampaio. 

 

O podcast ressalta a importância do samba de roda no campo da identidade, da memória, salvaguarda, preservação, além da autoestima de cada uma dessas mulheres, em relação aos seus valores, suas realidades, seus conhecimentos, as coisas que dizem respeito a nossa imensa e fantástica diversidade. 

 

As protagonistas possuem muitas similaridades nas suas vivências, mas o amor ao samba é o que mais as identificam. Cada uma delas se refere à experiência da roda, dos cantos, melodias e ritmos percutidos ou dedilhados, que traduzem em movimentos cênicos, como fundamentais para suas vidas. O samba para elas é o que traz a alegria e a conexão com seus antepassados, mesmo com todas as adversidades da vida cotidiana. 

 

O projeto tem o apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura (Prêmio Cultura na Palma da Mão/PABB) via Lei Aldir Blanc, redirecionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal. 

 

Prêmio Cultura na Palma da Mão – A convocatória foi elaborada para a execução dos recursos remanescentes da Lei Aldir Blanc, redirecionados pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal. É voltado para iniciativas culturais das categorias Difusão Artística; Culturas Periféricas; Culturas Rurais; Memória e Tradições; Cultura LGBTQIA+, que devem utilizar as redes sociais ou plataformas de streaming para realização das propostas.

Postar um comentário

Comente aqui

Postagem Anterior Próxima Postagem