Agora

Filme de diretora baiana está no catálogo da Netflix


O investimento em audiovisual e economia criativa por parte da Fundação de Amparo à Pesquisa da Bahia (Fapesb), que é vinculada à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), possibilitou que o longa-metragem “Um dia com Jerusa” ganhasse destaque em vários festivais. A obra, que está disponível no catálogo da Netflix, conta a história de uma mulher que vive no bairro do Bixiga. Ela abre as portas para uma jovem desconhecida e ambas dividem suas experiências de vida.


O filme ganhou prêmios de melhor direção de arte no 15º Encontro Nacional de Cinema e Vídeo dos Sertões, no Piauí, e no Festival de Cinema de Caruaru, em Pernambuco. A obra cinematográfica tem direção e roteiro da baiana Viviane Ferreira, sendo o segundo longa-metragem de ficção dirigido por uma mulher preta no Brasil.

A produção tem parceria com o Núcleo Baiano de Animação em Stop Motion (Nubas), que é apoiado pelo edital Pappe Integração da Fapesb e da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). A baiana Jamile Coelho, cofundadora do Nubas, é a diretora de arte do filme. Ela foi responsável por criar o conceito visual e a estética do longa. “O apoio da Fapesb, através do edital Pappe Integração, teve uma importância fundamental. Por meio desse subsídio, foi possível viabilizar uma parte da arte do filme”, explica.

O Nubas é uma iniciativa que tem como objetivo fomentar o setor audiovisual no Estado por meio da tecnologia e inovação. “Trabalhamos com tecnologia social. Nossa principal ideia é conectar jovens periféricos e fazer com que eles tenham acesso à tecnologia. Somos um polo de apoio para criação, desenvolvimento e produção de ideias inovadoras no audiovisual. Também produzimos projetos internos, como foi o filme ‘Um dia com Jerusa’”, diz Jamile.

O diretor geral da Fapesb, Márcio Costa, comemora o sucesso da obra apoiada pelo edital de financiamento de projetos de inovação tecnológica de produtos, processos e/ou serviços de micro e pequenas empresas. “Há uma importância muito grande desse formato de apoio, porque isso induz que outras empresas possam submeter projetos no campo audiovisual, principalmente explorando o potencial que a Bahia tem nesse setor. Acredito que o filme seja um marco, uma quebra de barreira. O sucesso dessa iniciativa vem coroar todo o apoio que a Fapesb e a Finep vêm dispondo nos editais de subvenção econômica”, disse Márcio.


Fonte: ASCOM FAPESB

Postar um comentário

Comente aqui

Postagem Anterior Próxima Postagem