20 de mai. de 2021

#TerradeLucasTurismo - Festival Balaiano reúne artistas de 37 municípios baianos em programação multilinguagem

Festival reúne 55 obras entre shows musicais, performances, curtas, artesanatos e fotografias e cria banco cultural para dar visibilidade ao trabalho de artistas de toda Bahia

 
Um encontro diverso, plural e que pretende conectar a arte e cultura produzida nos seis macroterritórios da Bahia, essa é a proposta do Festival Balaiano que reúne cerca de 55 artistas de 37 municípios baianos em uma programação que inclui apresentações musicais, performances, curtas-metragens, exposições fotográficas e de artesanato. O festival acontece de forma online e gratuita através do youtube Festival Balaiano em dois finais de semana consecutivos 21, 22 e 23 de maio e 28, 29 e 30 de maio. A programação completa pode ser acompanhada através do site: www.festivalbalaiano.com.br/ ou das redes sociais: instagram @festivalbalaiano e facebook /festivalbalaiano.

Para compor a programação foi aberta uma seletiva que contou com mais de 250 inscrições. A curadoria foi realizada por uma equipe composta por agentes de diversos segmentos artísticos e representantes de cada um dos seis macroterritórios do estado, além de contar com o apoio de mobilizadores culturais dessas macrorregiões. Cada dia do festival será representado por um macroterritório e apresentará diferentes categorias das obras selecionadas, além de homenagear uma personalidade local que tem especial contribuição às artes e cultura da região. Por ordem dos macroterritórios os homenageados são: Dona Val, Emillie Lapa, Dolores Moreira, Mãe Lena, Osman Tanajura e Gilsérgio Botelho.

O Festival Balaiano nasce a partir da inquietação de um grupo de produtores culturais em encontrar novas maneiras de fomentar a arte e estimular a formação de cadeias produtivas artísticas baianas. De acordo com os coordenadores do projeto, André Oliveira, Edmilia Barros e Angela Marques, a proposta é evidenciar grupos criativos pouco conhecidos e engajá-los a interagir com artistas semelhantes, como forma de fortalecer e disseminar as produções por todas as regiões do estado. Por isso, além da programação do festival, o Balaiano também será um espaço online de conexão entre artistas baianos através do Balaio de Contatos, que será um banco de dados para o mercado cultural da Bahia.

Balaio de Contatos: Banco Cultural para integração de artistas

Muito além da produção do festival, o Balaiano tem como propósito criar um banco cultural para integração de artistas baianos através do site do projeto: https://balaiodecontatos.com.br. A ideia é que o Balaio de Contatos seja um espaço aberto para cadastro de profissionais das mais diversas áreas artísticas disponibilizarem seus portfólios e trabalhos com o intuito de  promover encontros, debates e o fomento da arte produzida no estado.

“A produção artística e cultural da Bahia é muito rica e diversa. Nossa intenção é fortalecer o reconhecimento dessas  manifestações e promover um elo entre capital-interior, tradicional-moderno, artesanal-tecnológico e  som-imagem, através de uma rede que chegue nos quatro cantos do estado e ajude a preservar saberes e práticas criativas”, afirma a coordenadora de comunicação do projeto, Rafaela Bandeira.

O Balaio de Contatos já está disponível e qualquer artista da Bahia poderá se cadastrar gratuitamente e ter acesso a rede de contatos disponibilizada pelo canal.

O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

SERVIÇO

Festival Balaiano

21, 22 e 23 de maio  e  28, 29 e 30 de maio

Sempre a partir das 19h, Gratuito e Online

Transmissão: youtube: Festival Balaiano

 

PROGRAMAÇÃO

 

21 de maio de 2021 (Sexta): Macroterritório 1 - Homenageada: Dona Val

(Litoral Sul, Baixo Sul, Extremo Sul e Costa do Descobrimento)

Curta-metragem: “O Abebé Ancestral” - Direção: Paulo Roberto Ferreira Filho (Ilhéus)

Exposição fotográfica: “Odó-Iyá” de Maria Amália Martin (Itacaré)

Performances: “Solo Criativo Benditas Marias” de Mestra Lainha (Ilhéus) | “Sob Os Nossos Olhos” de Moara Sacchi (Santa Cruz de Cabrália)

Shows musicais: Sthelô (Teixeira de Freitas) | Eloah Monteiro (Ilhéus)

Artesanato: Nhei Matos (Itabuna) | Artesanato da Aldeia Txihi Kamaywra (Santa Cruz de Cabrália)

 

22 de maio de 2021(Sábado): Macroterritório 6 - Homenageado: Gilsérgio Botelho

(Médio Sudoeste, Vale do Jiquiriçá, Sertão Produtivo, Vitória da Conquista e Médio Rio de Contas)

Curta-metragem: “A Lenda de Rosa Maria” - Direção: Rodrigo Brito (Itapetinga)

Exposição fotográfica: “Tempo de Criança” de Rafael Jesan (Valença)

Performances: “Meu Balaio de Poesia” de Fonzin de Anajé (Anagé) | “Deslocamentos Ocidentais” de Laura Cristina (Caraíbas)

Shows musicais: Tiago Mota & Weldon Ribeiro (Itapetinga) | Luiza Audaz (Vitória da Conquista)

Artesanato: Effata (Vitória da Conquista) | “Folha Ateliê” por Tháua Tamborriello (Vitória da Conquista)  | “Nine Petite” por Rebeca Passos (Vitória da Conquista) | Recanto Vasos e Plantas  (Itapetinga) | Roger Barba O Artesão (Caetité)  | Sergio Ricardo  (Itapetinga)

 

23 de maio de 2021 (Domingo): Macroterritório 4 - Homenageada: Mãe Lena

(Irecê, Piemonte da Diamantina, Chapada Diamantina, Piemonte do Paraguaçu e Bacia do Jacuípe)

Curta-metragem: “Assombramitos” - Direção: Elizângela DaSilva (Morro do Chapéu)

Exposição fotográfica: “Miguel Calmon: uma cidade de memórias” de Jesser Oliveira (Miguel Calmon)

Performances: “Trapézio com perna de pau” de Sol Marques  (Palmeiras)  | “Respingos de Quarentena no Quintal” de Mara Santos (Palmeiras)

Shows musicais: Joana Terra (Barra da Estiva) | Mirceia Jordana (Iraquara)

Artesanato: Salomão Zalcbergas (Palmeiras) | Quilombola de Corcovado (Palmeiras) | Cícero Matos (Jacobina) | “Ateliê Menina Nordestina” por Cleide Araújo  (Itaberaba)  | “Arte em Traços” por Urânia Viana (Utinga)

 

28 de maio de 2021 (Sexta): Macroterritório 5 - Homenageado: Osman Tanajura

(Oeste Baiano / Bacia do Rio Grande, Bacia do Rio Corrente, Velho Chico e Bacia do Paramirim)

Curta-metragem: “A flor de um dia” - Direção: Deocleciano Teixeira de Araujo Neto (Bom Jesus da Lapa)

Exposição fotográfica: “Cultura e Cotidiano” de Diagnosticado (Santana)

Performances: “Sangue ao Alvo” de Joelma Alves (São Félix do Coribé) | “Precisamos falar sobre isso” de Pérola Luize (Bom Jesus da Lapa)

Shows musicais: Badu Araújo (Correntina) | Érico Lopes & Paulino Ronei (Santa Maria da Vitória e Cocos)

Artesanato: “Rabo de Gato” por Mailton Santos (Santana) | Tharcia Brito (Santa Maria da Vitória

 

29 de maio de 2021 (Sábado): Macroterritório 3 - Homenageada: Dolores Moreira

(Semiárido Nordeste, Itaparica (Ba/Pe), Portal do Sertão, Sisal, Piemonte Norte do Itapicuru)

Curta-metragem: “Tijuaçu: samba, superação e empoderamento” - Direção: Cida Nunes (Sobradinho)

Exposição fotográfica: “Cotidiano em P&B” de Camila Brandão (Paulo Afonso)

Performances: “Eu Sou o Mundo” de Teo Moraes (Feira de Santana) | “Luz” de Ruthe Maciel (Juazeiro)

Shows musicais: Davi Ferreira e Antônio Queiroz (Ichu) | Visage (Conceição do Coité)

Artesanato: “Ecotilápia” por Regina Soares (Paulo Afonso) | Mirtes Fernandes (Paulo Afonso)

 

30 de maio de 2021 (Domingo): Macroterritório 2 - Homenageada: Emillie Lapa

(Região Metropolitana de Salvador, Litoral Norte - Agreste Baiano  e Recôncavo)

Curta-metragem: “E Agora, Maria?” - Direção: Bruna Maria e Camila Gregório (Cachoeira)

Exposição fotográfica: “Resquícios” de Sanandra (Salvador)

Performances: “A Tua Voz” de Yuri Ferreira (Salvador) | “Estrela Maria” de Lara Nunes (Dias D’ávila)

Shows musicais: Dja Luz (Salvador) | Viviane Pitaya (Salvador)

Artesanato: “Álbuns patrimoniais de Sapeaçu” por Paula Anias e Isaias Peixoto (Sapeaçu)  | “Arte com Detalhe” por Vânia Gois (Conceição do Jacuípe) | Noel Brito (Salvador)

 

Site: www.festivalbalaiano.com.br

Youtube: Festival Balaiano

Instagram: @festivalbalaiano

Facebook: /festivalbalaiano

Processo seletivo de cada macroterriório

Macroterritório 1: compreende as regiões Litoral Sul, Baixo Sul, Extremo Sul e Costa do Descobrimento. A curadora responsável foi Tacila Mendes, que atua há 11 anos na assessoria de comunicação de projetos culturais e sociais. É uma das cantoras-fundadoras da banda Mulheres em Domínio Público e atua no mapeamento cultural realizado pelo Programa de Valorização da Cultura. A mobilizadora foi a ativista  Miriam Silva, que esteve à frente da gestão do Centro de Cultura de Porto Seguro, democratizando a cultura na região.

Macroterritório 2: região Metropolitana de Salvador, Litoral Norte - Agreste Baiano  e Recôncavo. Curadoria de Ziati Franco, homem trans, produtor, Coach Artístico e contrabaixista, atua com gestão de pessoas e tem mais de 10 anos de experiência no campo artístico musical. A mobilizadora foi a professora de educação artística, atriz, sambadeira e coordenadora da companhia Teatro de Esquina, Cláudia Nascimento.

Macroterritório 3: Semiárido Nordeste, Itaparica (Ba/Pe), Portal do Sertão, Sisal, Piemonte Norte do Itapicuru. Curadoria de Igor Gnomo, instrumentista, compositor, empreendedor e produtor musical / cultural. O mobilizador foi Rubinho Lima, escritor, editor e produtor cultural, coordenador da Editora Oxente.

Macroterritório 4: Irecê, Piemonte da Diamantina, Chapada Diamantina, Piemonte do Paraguaçu e Bacia do Jacuípe. Curadoria de Maryanne Dultra Bastos, produtora cultural, arte-educadora, griô aprendiz, coordenadora do Ponto de Cultura Circo do Capão. A mobilizadora foi Vone Ferreira, artista têxtil, atriz e  compositora de coco.

Macroterritório 5: Oeste Baiano / Bacia do Rio Grande, Bacia do Rio Corrente, Velho Chico e Bacia do Paramirim. Curadoria de Chris Ramos, ativista e agente cultural, web designer, idealizadora de Projeto “Eu Crio” – um suporte a artistas e produtores culturais através da internet.  A mobilizadora foi Marina Ferreira, pedagoga, comunicadora na Casulo Criativo, produtora cultural e vice-coordenadora da Cia de Teatro Retórica Desnuda.

Macroterritório 6: Médio Sudoeste, Vale do Jiquiriçá, Sertão Produtivo, Vitória da Conquista e Médio Rio de Contas. Curadoria de Patrícia Chaves, que atua no audiovisual e teatro como produtora, diretora, roteirista e montadora, além de ministrar cursos, oficinas e workshop de roteiro, teatro e interpretação. O mobilizador é o cantor e compositor Guigga, com mais de 20 anos de trajetória na música e criador do Sarau Casa da Borracha.


Enviado por Gisele Santana

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui

Livro barato é no SubMarino