FNO

3 de jun de 2019

Festividades locais são tema do "Feira Que Te Quero Ver" 2019

Micareta de Feira 2019 | Foto: A Tarde

A quarta edição do “Feira Que Te Quero Ver” já tem tema definido – “Cultura popular: festividades locais”. No dia 29 de maio, durante encontro realizado na sede da Secretaria Municipal de Educação, a escolha foi anunciada a representantes das 30 escolas municipais que vão participar do projeto este ano. Esta foi a primeira reunião para debater o regulamento do programa, além de apresentar as novidades pensadas para ele.

A culminância deve ocorrer em novembro. Até lá, os estudantes participarão de oficinas de produção de vídeos, de edição de imagens e de elaboração de e-books, para apropriação de técnicas básicas e produção posterior de seus materiais, os quais serão submetidos à votação e avaliação de jurados. As oficinas serão realizadas nas próprias escolas.

Com o novo tema, a equipe que coordena o programa busca aproximar a comunidade estudantil dos momentos festivos marcantes de Feira de Santana e de sua riqueza cultural, além de rememorar eventos que ficaram registrados na história do município. Cada escola pode inscrever até 40 estudantes de turmas diferentes; cada equipe deverá ter três coordenadores.

O “Feira Que Te Quero Ver” visa promover a difusão do patrimônio histórico-cultural do município a partir do estudo dirigido e da visitação de estudantes e professores aos bairros, distritos e entornos das escolas, além de incentivar o uso da tecnologia a favor da educação.

O número de escolas participantes neste ano é maior devido à municipalização de cinco escolas estaduais, as quais passam a integrar o projeto. Outra novidade será a realização das atividades – pesquisa e elaboração dos produtos – dentro da própria escola, o que deve potencializar o uso da tecnologia nas pesquisas.

"Neste ano, os estudantes dedicarão mais tempo à pesquisa, tanto em livros, quanto na Internet, o que se enquadra com a nossa proposta inicial, que é fazer dessas ferramentas tecnológicas um instrumento pedagógico”, destaca a professora Luíza Selis, chefe do Núcleo de Tecnologias da Seduc e uma das coordenadoras do programa. Ivamara Bastos, chefe da Divisão de Ensino Fundamental, e Geórgia Kaline Matos, do Grupo de Gestão e Mediação, também coordenam a iniciativa.


A professora Jozelia Araujo, diretora do Departamento de Ensino da Seduc, enfatizou a importância da ação na vida dos estudantes e celebrou a longevidade que ela vem alcançando. “É um projeto que eu, particularmente, tenho orgulho. Ele cumpre um objetivo fundamental, que é tratar de fatos históricos locais com sua devida importância. Ele consegue o envolvimento desses estudantes, desperta sua curiosidade e também o interesse da comunidade ao redor. Então, ele vai além, extrapola nossas expectativas”, ressalta a diretora.

Fonte: Secom PMFS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui

MagaLu

Livro barato é no SubMarino