1 de out de 2018

Andante




Nas antigas frias sombras
Onde reaqueço
Adorno meus sentimentos
E faço do bote um barco
Cujas velas me levam
Aleatoriamente
Onde eu preciso ir.
Ao fim, no horizonte
Habita uma luz intermitente
Que me salva urgentemente
Das persistentes oscuridades.
Quisera eu nunca mais escurecer
Chegaria ao porto nunca antes encontrado o chamaria de seguro e aportaria em seu cais.
Feliz, cansada e sorridente.
Achar-se
Impossível alvo para alma que faz do universo seu pequeno quintal.




Nara Mascarenhas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui

FNO

Sua marca no melhor lugar!