3 de ago de 2016

Missão técnica a São Paulo traz novidades para o ramo de panificação

Foto: ANS

Grupo de empresários atendidos pelo Sebrae visitou a FIPAN, principal feira nacional de negócios da indústria de panificação e confeitaria

Vívian Rodrigues

Um grupo de 19 empresários do ramo de panificação e confeitaria de Feira de Santana, Coração de Maria, Irará e Conceição do Jacuípe participou da Feira Internacional de Panificação, Confeitaria e Varejo Independente de Alimentos (FIPAN), que aconteceu entre os dias 26 e 29 de julho, no centro de convenções Expo Center Norte, em São Paulo. O Sebrae Feira de Santana coordenou a viagem, que teve início dia 25, oportunizando a efetivação de negócios com melhores preços, o acesso a novas técnicas, networking e parcerias comerciais na visita aos stands da feira.

A missão também proporcionou a troca de experiências através de visitas técnicas a estabelecimentos tradicionais e de sucesso naquele estado, como a Panetteria ZN, Nico Paneteria e o empório italiano Eataly. Na ocasião, o grupo conheceu novos produtos e processos de fabricação, recebeu dicas de gestão, esclareceu dúvidas e obteve orientações ligadas ao dia a dia da produção e comercialização de alimentos.

O empresário Etienny Freitas, dono da Casa de Delícias Progresso, em Feira de Santana, participou pela segunda vez do evento. Ele faz planos para aplicar o conhecimento que adquiriu nas visitas técnicas no negócio que administra há oito anos. “Foi um marco muito grande. Tivemos acesso a informações, conhecemos processos de produção e um novo conceito de confeitaria. Todos foram muito receptivos, tiramos fotos, filmamos e já tem muita coisa que aprendi lá e vou colocar em prática”, disse.

Ele destaca como uma melhoria a ser implantada no seu negócio, o denominado sistema de pré-pesagem, definido pela preparação prévia dos ingredientes de uma receita, com as medidas e quantidades solicitadas. Sua aplicação resulta na padronização de processos e aumento de produtividade. Desta forma, a mão-de-obra é otimizada e há um controle do estoque de matérias-primas, entre outras vantagens. “Ele controla a produção, inibe perdas e desperdício. Vi que é determinante em toda produção da loja”, completou.

Participaram da FIPAN 2016 distribuidores e fornecedores de instalações comerciais, máquinas, equipamentos, embalagens, produtos finais e matérias-primas voltadas ao segmento. Em 2015, o evento reuniu mais de 60 mil visitantes e 50 países.

“A viagem teve um caráter enriquecedor. Tivemos acesso às técnicas produtivas das empresas desse segmento em São Paulo e, de fato, é uma maneira completamente diferente de produzir, em comparação àquela que utilizamos”, avaliou o empresário Fred Rios, que está há 11 anos à frente da delicatessen Buona Massa, em Coração de Maria.

Para Victor Oliveira, da Panificadora e Delicatessen Victor, em Irará, o processo que ganhou destaque foi a tecnologia de congelamento e armazenagem. “Deve ser o próximo investimento da nossa empresa. Ele nos permite produzir em grandes quantidades, estocando a produção de maneira segura sem afetar a qualidade dos produtos, utilizando-os de acordo à demanda. Além de abrir novas linhas de venda”, ressaltou o empresário.

De acordo com o técnico do Sebrae, Luiz Eduardo Xavier, que acompanhou a missão, o objetivo foi fortalecer o grupo, fomentando a inovação e o conhecimento. “É sempre gratificante. Pelas novas ideias, pela oportunidade de acesso a novas tecnologias, pelos contatos efetuados e principalmente pela oportunidade de estarem juntos, trocando informações e interagindo entre si. Isso solidifica o grupo”, pontuou.


Projeto

Os empresários são acompanhados pelo Sebrae através do Projeto de Panificação e Massas Alimentícias. A iniciativa envolve uma série de ações no âmbito de mercado, gestão, financeiro, tecnologia e inovação, voltadas para o público-alvo, visando fortalecer o segmento. O plano preconiza, através do Programa de Desenvolvimento da Alimentação, Confeitaria e Panificação (Propan) e do método de Melhoria do Desempenho Empresarial (MEDE), desenvolver nos empreendedores a habilidade de identificar, conhecer e medir os aspectos críticos para o sucesso do negócio, por meio da capacitação, consultoria, definição e acompanhamento de indicadores de desempenho empresarial.


Fonte: Agência Sebrae de Notícias Bahia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui