15 de jul de 2016

Empresários do ramo de panificação conhecem estratégias de negócios


Ciclo de palestras, realizado pelo Sebrae nos dias 12 e 13 de julho, teve a participação de donos de panificadoras e delicatessens de Feira e região


Por: Vívian Rodrigues

Feira de Santana - Mais de 50 empresários do ramo de panificação e delicatessen se reuniram, nos dias 12 e 13 de julho, para um ciclo de palestras oferecido pelo Sebrae Feira de Santana. Estiveram presentes empresários de Feira e região, como Amélia Rodrigues, Irará, Conceição do Jacuípe, Senhor do Bonfim, Campo Formoso, Pojuca e Coração de Maria. O evento, que aconteceu no espaço de convenções do Hotel Acalanto, foi realizado pela instituição em parceria com as empresas Adinor e Bunge, marcas fornecedoras de produtos alimentícios àqueles segmentos, e o Instituto Tecnológico de Panificação e Confeitaria (ITPC).

Durante as duas noites de capacitação, os empresários receberam informações de pesquisas de mercado, ganho e fortalecimento financeiro. “Como reduzir perdas e falhas nos processos e aumentar a lucratividade da empresa”, “Como criar um padrão de qualidade dos produtos comercializados”, “Qualidade do pão francês - os impactos da norma da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) no faturamento da panificadora” e “Como preparar a equipe para a Construção da Qualidade Total, uma exigência do mercado” foram temas discutidos.

Palestrante do evento, Patrícia Marques destacou a importância de se analisar o negócio e trabalhar os processos individualmente para aumentar a eficiência. Segundo ela, algumas atitudes são caminhos para aumentar a competitividade do empreendimento, como: padrão de qualidade dos produtos, diversificação dos serviços oferecidos ao cliente e qualidade do atendimento. Em ambas as noites, equipes técnicas das empresas parceiras apresentaram oficinas abordando a inovação nos produtos.

Para o vice-presidente do Sindicato de Indústria de Panificação em Feira de Santana, João Baptista, é importante que os empresários participem de mais ações como esta. “Quando você organiza a sua empresa, pode buscar mais coisas para trabalhar melhor. Queremos que os empresários cresçam juntos. Só vamos para frente com união e o Sebrae, através desta parceria desde 2014, está nos ajudando a perceber isso”, pontuou.

Projeto

Segundo o técnico do Sebrae, Luiz Eduardo Xavier, 18 empresas estão participando do programa de panificação e já estão se beneficiando, com resultados desde a organização financeira até a redução de custos e desperdício. Os resultados foram conquistados a partir de um plano de ação executado pelo Sebrae, que utilizou métodos de diagnóstico de deficiências nos empreendimentos. “As 18 empresas estão passando e sendo satisfatoriamente atendidas por quatro consultorias, sendo elas de finanças, que é fundamental para cada negócio; controle de desperdício; produção e por fim, de mercado, concluindo o trabalho com essas empresas que estão conosco”, listou Xavier. “As empresas que não estão sendo acompanhas este ano pela ferramenta MEDE (Método de Melhoria do Desempenho Empresarial) também podem participar de ações como esta em 2016, e integrar no ano que vem o nosso programa”, completou.

Victor Oliveira é dono da Panificadora e Delicatessen Victor, em Irará, e veio a Feira de Santana para participar do evento. O empresário contou que é acompanhado pelos programas do Sebrae voltados para o ramo há cerca de dois anos e vem tendo excelentes resultados. Por isso, participou da iniciativa, para profissionalizar mais o seu negócio, aperfeiçoando a sua gestão.

“Foi proveitoso, me permitiu saber como vai ser realizada a análise da qualidade do pão e as avaliações já feitas. O assunto abordado sobre perdas também foi oportuno e fez o link com o MEDE. É uma motivação a quem não está participando para começar em algum programa, e também reforçou as ações que estão sendo feitas nos que já fazem parte do projeto”, avaliou o empresário, que elencou melhorias no seu negócio a partir do Programa de Desenvolvimento da Alimentação, Confeitaria e Panificação (Propan) e do MEDE. "Tivemos melhorias na produção, com a média mudando de 1.070 para 1.150 e hoje 1.190 pães por saco de farinha, e melhoria na produção de pizzas, com redução da quantidade de queijos usados, de 25kg para 8kg, a partir da padronização de porções deste e de outros ingredientes utilizados por pizza", disse.

Missão técnica

A próxima ação do projeto é a missão técnica a São Paulo, de 26 a 29 julho, para a FIPAN, principal feira nacional de negócios da indústria de panificação, confeitaria e de estabelecimentos que atuam no food service. O Sebrae irá levar 19 empresários da região para o evento, que recebe experientes profissionais e gestores, proporcionando a troca de experiências e a efetivação de negócios durante a feira.

Agência Sebrae de Notícias Bahia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui