FNO

27 de jun de 2016

‘100 Anos de Diógenes Rebouças’ recebe convite para cinco capitais brasileiras


Editais de Patrimônio do IPAC/SecultBA, com recursos do Fundo de Cultura da Bahia, patrocinaram o projeto já exibido em Salvador e Recife

A exposição ‘Centenário de Diógenes Rebouças: Cidade, Arquitetura e Patrimônio’ que trata da vida e obra do arquiteto modernista, urbanista, artista plástico, professor e pesquisador baiano Diógenes Rebouças (1914-1994), foi convidada para mais cinco capitais brasileiras. Rio de Janeiro, São Paulo, João Pessoa, Natal e Fortaleza têm interesse na mostra que já esteve em Salvador em agosto do ano passado (2015), e até abril deste ano (2016) em Recife.
 
“Estamos à procura de apoio para mostrar ao restante do país o legado deste grande baiano e a divulgação ajuda a achar parceiros”, diz Nivaldo Andrade, coordenador do projeto e curador da mostra. Além de um dos maiores conhecedores de Diógenes, Andrade é especialista em arquitetura moderna baiana com tese de doutorado premiada com Menção Honrosa pela Capes/Ministério da Educação.
 
POLÍTICA PÚBLICAComposta por 39 painéis com fotos de plantas e 16 maquetes apresentando projetos arquitetônicos e urbanísticos de Rebouças, a exposição geralmente inclui palestra e mesa redonda. De acordo com o diretor geral do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural, João Carlos de Oliveira, o projeto é patrocinado pelo Edital de Patrimônio do IPAC, da secretaria estadual de Cultura (SecultBA), com recursos do Fundo de Cultura da Bahia. “A tese de Nivaldo também venceu mais um edital e vai virar livro, a ser lançado no próximo mês de agosto pelo IPAC/SecultBA, patrocinado pelo Fundo de Cultura”, completa João Carlos.
 
Para ele, os editais integram a política pública de fomento à cultura da SecultBA. “Os editais são mais uma ferramenta para a transparência e a democratização na distribuição de recursos públicos, possibilitando participação efetiva da sociedade”, explica João Carlos. O IPAC coordena ainda os Editais de Museus com projetos de preservação, valorização, pesquisa, inventário, difusão, dinamização e qualificação. Já o de patrimônio apoia a salvaguarda, restauração e educação patrimonial.
 
PROJETOSDiógenes nasceu em Amargosa (BA) e foi professor de Arquitetura da Universidade Federal da Bahia (Ufba). Dentre seus projetos, o Hotel da Bahia (1947-1952), prédio reconhecido nacionalmente e tombado como Bem Cultural pelo IPAC. Outras obras de destaque são a antiga Fonte Nova, a Escola Parque e a Faculdade de Arquitetura/Ufba. Diógenes projetou edificações em Salvador, Aracaju, Itabuna, Itaparica, Jequié, Maceió, Paulo Afonso e Vitória.  Mais dados: www.diogenesreboucas.com.br.
 
A realização foi do Instituto de Arquitetos do Brasil/BA, Arquitetura/Ufba, CAU, IPAC e Odebrecht e tem apoio do IPHAN, Teatro Castro Alves (TCA), fundações Mário Leal Ferreira e Gregório de Mattos. Para ter fotos da mostra no TCA, acesse: http://www.tca.ba.gov.br/content/di%C3%B3genes-rebou%C3%A7as. Sobre editais no IPAC, via telefone (71) 3117-7482. Acesse www.ipac.ba.gov.br, facebook ‘Ipacba Patrimônio’, twitter ‘@ipac_ba’ e instagram ‘@ipac.patrimonio’.

 
Assessoria de Comunicação – IPAC.
Jornalista responsável Geraldo Moniz de Aragão (DRT-BA nº 1498)
Coordenação de Jornalismo e Edição: Marco Cerqueira (DRT-BA nº1851)
Texto-base: Íris Leandro (estagiária Jornalismo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui

Sua marca no melhor lugar!