Livro barato é no SubMarino

15 de jan. de 2020

Teatro Gamboa programação completa para janeiro 2020



Teatro Gamboa_Janeiro 2020
Verão com Arte
Voltamos com muitas atrações especiais no mês de janeiro. Teatro com visões femininas e voltado para crianças, artes visuais da Chapada Diamantina, clipe musical sobre o amor, talentosos músicos e uma exibição especial de filmes, sobre a riqueza da cultura soteropolitana. 

 
Teatro
Consolo – Um Solo de Contação Femino-Circense – Alice Cunha
Atriz volta ao palco do Teatro Gamboa depois de se apresentar no projeto Se Mostra Interior

Consolo é um espetáculo multilinguístico, concebido como um grande ritual. Em cena a aerialista e atriz Alice Cunha apresenta dois aparelhos aéreos - um deles originalmente criado para o espetáculo, para contar histórias tão fantásticas quanto reais, e que nos levam a mergulhar no universo profundo da psique feminina.

Criado a partir de estudos do livro “Mulheres que Correm com os Lobos” (Clarissa Pinkola Estés), é um convite a imergir no inconsciente coletivo e individual do feminino.

Com apoio financeiro do Fundo de Cultura do Estado da Bahia, através do Edital Setorial de Circo de 2016, Consolo estreou no Circo do Capão – Palmeiras (BA) em 2018 e circulou pelos municípios de Ibicoara, Jequié, Cachoeira e Salvador.

Serviço:
O que: Espetáculo Consolo – Alice Cunha
Quando: 08, 09, 15, 22, 23 e 30/01 (qua e qui) às 19h 
Quanto: R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia com comprovante/ aceita cartão de débito e crédito) - bilheteria abre a partir das 15h
Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos (atrás do Passeio Público, ao lado do quartel)
Informações: 71 3329 2418/ Alice 71 991518064
Classificação: Livre

Ficha técnica
Atuação: Alice Cunha.
Direção: Raquel Karro.
Dramaturgia: Alice Cunha e Raquel Karro
Textos: Alice Cunha
Trilha Sonora: Ana Barroso.
Arte Visual: Ani Hazi.
Figurino: Carola Costa
O Jabuti e a Sabedoria do Mundo – Cooxia Coletivo Teatral
Ancestralidade, racismo e intolerância religiosa, abordados através de belas fábulas

Evento para todas as idades, o espetáculo "O Jabuti e A Sabedoria do Mundo" será apresentado no Teatro Gamboa nos dias 11, 18 e 25 de janeiro. As apresentações serão sempre aos sábados, às 16h.

Um quinteto de jabutis-griôs-brasileiros se reúne no pé de uma árvore sagrada, para contar histórias de África, lendas vividas por seus antepassados. Assim, retomam a tradição griô, dos sábios africanos, para narrar fábulas que falam sobre ancestralidade, raça, religião, entre outros temas importantes.

O elenco, sob direção de Guilherme Hunder, é formado por Genário Neto, Igor Nascimento, Johsi Varjão, Larissa Libório e Nitorê Akadã. Os artistas se revezam interpretando as personagens com tons mágicos, seja um avô, uma feiticeira, um caçador-serpente, os orixás. A intenção é, também, refletir as características das ações humanas.

Serviço:
O que: Espetáculo O Jabuti e a Sabedoria do Mundo – Cooxia Coletivo Teatral
Quando: 11, 18 e 25/01/2020 (sab) – 16h
Quanto: R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia com comprovante/ aceita cartão de débito e crédito) - bilheteria abre às 15h
Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos (atrás do Passeio Público, ao lado do quartel)
Informações: 71 3329 2418/ Guilherme (71) 9 9229-7391
Para saber mais: https://www.sympla.com.br/
Classificação: Livre

Ficha técnica
Diretor de Produção e Diretor Geral – Guilherme Hunder
Equipe de Produção – Sidnaldo Lopes, Merinha Paixão e Larissa Libório
Elenco – Nitorê Akadã, Joshi Varjão, Larissa Libório, Igor Nascimento, Genário Neto e Sidnaldo Lopes.
Banda – Felipe Pires, Duca Vasconcelos, Gabriel Caldas e Bruno Torres
Operadora de Luz e Assistente de direção – Leticia Aranha
Operador de Som e Assistente de direção – Lucas Oliveira
Iluminação – Alisson de Sá
Cenário – Zuarte Jr


A Reza – Cia Filhas de Lilith
A peça retrata um trágico capítulo em consequência da criminalização do aborto.

"A Reza" trata da opressão do feminino que vemos manifestado em diversas formas de violências cotidianas contra as mulheres. A negação ao direito de decidir sobre o próprio corpo. Em cartaz no Teatro Gamboa, em três spabados de janeiro.

“Isto é somente mais uma expressão da mentalidade machista e misógina em que está estruturada a nossa sociedade.” – reforça Juliana Roiz, diretora. Através do uso de elementos ritualísticos, o espetáculo cria uma atmosfera intimista, que torna palpável o doloroso desamparo que mulheres são obrigadas a enfrentar diariamente graças aos dogmas culturais que as demonizam e as condenam a um tratamento desumano como o aborto clandestino.

“A lei que proíbe o aborto é também uma lei racista, pois num país como o Brasil em que a desigualdade social está intimamente ligada ao preconceito racial, e onde mulheres que possuem condições financeiras podem se dirigir a clinicas médicas para realizar o procedimento de forma segura, quem acaba vitimada por essa legislação medieval são as mulheres pobres, majoritariamente negras”, acusa também a diretora. Para ela, a luta pela descriminalização e legalização do aborto engloba também a luta contra o preconceito de cor e gênero.

O objetivo da ação artística é promover uma maior conscientização a respeito da privação de direitos humanos básicos, suscitando um debate urgente e necessário pela vida das mulheres.

Serviço:
O que: Espetáculo A Reza – Cia Filhas de Lilith
Quando: 11, 18 e 25/01/2020 (sab) – 19h
Quanto: R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia com comprovante/ aceita cartão de débito e crédito) - bilheteria abre a partir das 15h
Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos (atrás do Passeio Público, ao lado do quartel)
Informações: 71 3329 2418/ Juliana 71 99166-2773
Para saber mais: fanpage
Classificação: 18 anos

Ficha técnica
Direção: Juliana Roiz
Atuação: Andréia Fábia
Iluminação: Tarcio Pinheiro
Assistência de Produção: Michel Pereira
Fotografia: Diney Araujo
Design Gráfica: Jéssica Menezes



Música
Ma Poésie – Cris d'Ávila
A direção musical é de Luiz Asa Branca, parceiro de longa data da artista, que interpreta Edith Piaf, Jacques Brel e outros clássicos.

Nos dias 10 e 17 de janeiro, a cantora Cris d’Ávila abre a programação musical do Verão do Teatro Gamboa. “Ma Poésie” traz ao público canções francesas, exaltando o amor, a saudade, a música e as paixões da intérprete por Paris e pela Bahia.

O show tem direção musical de Luiz Asa Branca, parceiro de longa data da cantora. Com experiência em canções francesas, Cris d'Ávila estudou canto na Escola Baiana de Canto Popular, em Salvador, com a professora e cantora Ana Paula Albuquerque. Estreou o show “Dans mon Ile”, no Teatro Molière em 2009, “Samba e Chanson”, em 2010.

Também fazem parte da carreira de Cris o show “Demais”, homenagem a Maysa, no Gamboa Nova em 2012, e “Bricolage”, em 2018, no Espaço Cultural Casa da mãe.

Num clima que faz emergir o romantismo francês e com arranjos inovadores, Cris d'Ávila desfila entre poesias e canções de Edith Piaf, Jacques Brel, Joséphine Baker, Henri Salvador e outras clássicas chansons francesas. O show conta com os músicos Luiz Asa Branca, nos violões e guitarra, Ldson Galter, no baixo acústico e Reinaldo, na bateria.

Serviço:
O que: Show Ma Poésie – Cris d'Ávila
Quando: 10 e 17/01/2020 (sex) – 19h
Quanto: R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia com comprovante/ aceita cartão de débito e crédito) - bilheteria abre a partir das 15h
Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos (atrás do Passeio Público, ao lado do quartel)
Informações: 71 3329 2418/ Cris d'Ávila 71 987682545
Para saber mais: fanpage
Classificação: livre

Ficha técnica
Vocal: Cris d'Ávila
Direção musical, violões, guitarra: Luiz Asa Branca
Baixo acústico: Ldson Galter
Bateria: Reinaldo
Preparação vocal e direção artística: Ana Paula Albuquerque
Produção: Elis Pedrosa
Assistente de produção: Osimara Lopes
Operação de som: Caji


O Xirê – Gustavo Melllo e Tambor de Cordas
Músicas que buscam revelar a beleza de cantigas seculares.

O show “O Xirê”, em cartaz dentro do projeto “GamBoaMúsica Pôr do Sol”, dias 12, 19 e 26 de janeiro, tem como base as músicas de origem afro-religiosa e composições autorais do músico Gustavo Melllo, tanto recentes quanto do disco “Gustavo de Melo e o Tambor de Corda”.
Com alguns anos de estrada, o artista vem se apresentando em diversos espaços alternativos, como teatros e casas de shows, universidades, além de espaços públicos como o Pelourinho. O grupo “Tambor de Corda”, formado há alguns anos por ele, traz elementos da cultura afro-religiosa em nova roupagem.
Um trabalho de pesquisa científica, que tem como base criativa os toques e as cantigas de candomblé ouvidas nos terreiros e a mistura de ritmos da música popular brasileira. As influências musicais vão desde o Rock dos anos 80 ao samba duro, da MPB de Gilberto Gil ao afro beat de Fella Kute.
Gustavo Melllo é músico, compositor, arranjador, guitarrista e violonista, cuja carreira artística iniciou em bandas de rock de Salvador. Ao longo de sua carreira vem adquirindo conhecimento sobre música popular brasileira, especialmente as de raízes nordestinas como: samba de roda, xote, baião e músicas afro-religiosas.
Serviço:
O que: Show O Xirê – Gustavo Melllo e Tambor de Cordas
Quando: 12, 19 e 26/01/2020 (dom) – 17h
Quanto: R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia com comprovante/ aceita cartão de débito e crédito) - bilheteria abre a partir das 15h
Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos (atrás do Passeio Público, ao lado do quartel)
Informações: 71 3329 2418/ Gustavo 71 99965-6750
Para saber mais: site oficiaL
Classificação: livre

Ficha técnica
Voz e violão: Gustavo Melllo
Guitarra e voz: Ailson Guedes
Contra Baixo: Ícaro
Bateria e voz: Nonato Sansky
Voz: Eline Araújo
Percussão: Ronilson Rasta
Direção artística, técnico de luz: Wellington Rosário
Operador de som: Gabriel Carneiro


Já tá Cedo Ainda – Luizinho Assis Trio
24 e 31/01/2020 (sex) – 19h
R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia) 

Show de música instrumental com composições de Luizinho Assis (teclados), acompanhado por Cesário Leony (baixo) e Marcelo Brasil (bateria). Dias 24 e 31 de janeiro, sextas, às 19h, no Teatro Gamboa.

Luizinho atua na cena musical desde que aportou em Salvador em 1981, aos 19 anos, tendo acompanhado diversos artistas baianos e nacionais. Em seu estúdio atua também na produção de discos e material audiovisual.

Paralelamente, Luizinho tem um trabalho de composição, principalmente instrumental. Neste show, reúne alguns temas que compôs ao longo desses anos na Bahia.

Serviço:
O que: Show Já tá Cedo Ainda – Luizinho Assis Trio
Quando: 24 e 31/01/2020 (sex) – 19h
Quanto: R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia com comprovante/ aceita cartão de débito e crédito) - bilheteria abre a partir das 15h
Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos (atrás do Passeio Público, ao lado do quartel)
Informações: 71 3329 2418/ Luiz 71 99816 4246
Para saber mais: facebook
Classificação: livre

Ficha técnica
Teclados: Luizinho Assis
Baixo: Cesário Leony
Bateria: Marcelo Brasil


Evento especial
Balizando 2 De Julho + Samba Junino-de Porta em Porta – Oba Cacauê Produções
Exibição gratuita e exclusiva dos documentários produzidos em Salvador

No Dia da Visibilidade Trans, 29 de janeiro, às 19h, a produtora Oba Cacauê traz para o Teatro Gamboa a exibição completa, gratuita e exclusiva dos documentários “Balizando 2 de Julho” e “Samba Junino – de Porta em Porta”.

O primeiro marca o dia da visibilidade trans, comemorado na data, falando sobre a participação da comunidade LGBTQI+ no desfile de 2019. O segundo, aborda o ritmo essencialmente soteropolitano, reconhecido como Patrimônio Cultural e Imaterial de Salvador.

“Balizando 2 de Julho” acompanha a trajetória de duas personagens centrais: Diana Souza, uma baliza trans, e Gabriel Vilasboas, um balizador gay. Em meio aos ensaios para o evento cívico de Salvador, a escolha de figurino e criação de coreografia, eles revelam uma realidade ainda permeada por preconceito e obstáculos como a difícil relação com o mercado de trabalho, a aceitação da orientação sexual e identidade de gênero e a relação com familiares e comunidade.

O outro documentário, musical, mostra o Samba Junino inserido em um movimento de resistência e luta da cultura negra. Evidencia o surgimento do ritmo oriundo dos bairros periféricos e com predominância da população negra de Salvador, tendo inicio no final da década de 1970. A narrativa também destaca que, ao influenciar na formação da música baiana, o ritmo contribuiu para dar visibilidade a artistas como Ninha, Tatau, Tonho Matéria, Xexéu, Márcio Vitor e os Irmãos Bafafé, entre tantos outros.

Serviço:
O que: Documentários Balizando 2 De Julho + Samba Junino-de Porta em Porta – Oba Cacauê Produções
Quando: 29/01/2020 (qua) – 19h
Quanto: Gratuito (60 lugares, bilheteria abre a partir das 15h)
Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos (atrás do Passeio Público, ao lado do quartel)
Informações: 71 3329 2418/ Márcio 71 99154 9442
Para saber mais: site
Classificação: livre

Ficha técnica “Balizando 2 de julho”:
Direção, Coroteiro e Produção Executiva: Fabíola Aquino
Roteiro, Codireção e Direção de Produção: Marcio Lima
Direção de Fotografia e Cinegrafista: Rick Caldas
Cinegrafista: Leonardo Martins
Som direto: Pedro Garcia e Victor Brasileiro
Assistente de som: Laísa Eça
Produção: Renata Almeida
Assistente de produção: Felipe Martins
Operador de drone: Gustavo Costa Pinto
Edição: Rick Caldas
Composição original: Chico Gomes

Ficha Técnica “Samba Junino – de Porta em Porta”:
Diretora, Produtora Executiva e Coroteirista : Fabíola Aquino
Codiretora, Roteirista e Diretora de Produção: Dayane Sena
Diretor de Fotografia: Robério Braga
Codiretor de Fotografia, Cinegrafista, Finalizador de Cor: Rick Caldas
Finalizador de Som: Gabriel Póvoas
Técnico de Som Direto: Pedro Garcia
Montagem: Iris de Oliveira
Assistente de Produção: Renata Almeida


Exposição
Impressões Cromáticas do Vale – Salomão Zalcbergas 
Obras que instigam o resgate de memórias da localidade da Chapada Diamantina

Artista plástico de vida e obra singulares, Salomão Zalcbergas volta mais uma vez a expor no Teatro Gamboa, desta vez com “Impressões Cromáticas do Vale”, onde faz um recorte de seu trabalho na Chapada Diamantina, dando acesso às obras ao público de 08 de janeiro a 16 de fevereiro, na Galeria Jayme Fygura, foyer do espaço, de quarta a sábado das 16h às 19h e domingos das 15h às 17h.

Uma das obras desta série “São Francisco entre o Céu e a Terra”, é o painel que assina a identidade visual da programação do Teatro Gamboa de janeiro 2020 (programa impresso, site e redes sociais). A criação remete a fé e religiosidade presentes no Vale do Capão-BA.

Esta coleção vem sendo marcada por belos contrastes cromáticos, na técnica acrílica sobre tela. Salomão tem se dedicado, nos últimos anos, aos temas regionais onde enaltece a figura do homem rural em seu ambiente bucólico, que remete à vida simples e poética do indivíduo em sua rotina.

“Ainda hoje, conversando com dois amigos agricultores, em meio à movimentação turística do Vale, eles ainda resistem: uns com carrinho de mão, outros com cavalos, burros, chapéu e jaleco de couro e, ainda, alguns com facão na cintura e enxada no ombro. Todos eles deparando-se com as novidades tecnológicas!”, diz Salomão. Para o artista, essa resistência pela manutenção dos princípios dos antigos nativos, mantém certa unidade familiar. “É esse ambiente que me instiga a resgatar essas valiosas memórias e tradições, que resistem, expressá-las em cores vibrantes, harmônicas e antagônicas”.

Luiz Salomão Zalcbergas é formado em Artes Plásticas pela Escola de Belas Artes da UFBA, Licenciatura em Desenho e foi docente em Artes em Escolas Públicas de Salvador e no município de Caeté-Açu. Nasceu em São Paulo, mas estabelecido na Bahia em 1960, desde a década de 80 reside entre Salvador e o Vale do Capão, onde seus murais, a céu aberto, são uma das grandes atrações e estão expostos permanentemente.

Serviço:
O que: Exposição Impressões Cromáticas do Vale – Salomão Zalcbergas
Quando: de 08 até 16/02/2019 - das 16h às 19h (qua a sab) e 15h às 17h (dom)
Quanto: Gratuito
Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos
Informações: 71 3329 2418/ Ana 72 98880 0587
Para saber mais: instagram
Classificação: livre

Ficha técnica:
Fotografias: Yuri Zalcbergas
Produção local: ZSZ produções
CineGamboa
Sorriso de Amor - Yves
Clipe será exibido antes das apresentações de quarta a domingo.

Lançado pela Giro MPB, plataforma idealizada por Julie Caroll e Susi Koncei, é o mais novo trabalho do músico soteropolitano Yves, abordando o amor. Será exibido durante a programação de janeiro de 2020 do Teatro Gamboa, antes das apresentações, com autorização da produção do dia.

Em maio de 2018, Yves lançou o seu primeiro EP “Live Session Studio Z6”, inteiramente acústico e composto por quatro músicas dedicadas a falar sobre o amor. Em outubro do mesmo ano, com ingressos esgotados, lançou o seu primeiro show intitulado “Num Quartinho Maior”. E agora vem se preparando para o lançamento do clipe “Sorriso de Amor”

“A ideia do clipe é passar o amor que “Sorriso de Amor” carrega, de forma simples, mas que encante”, declara o cantor. O lançamento no youtube está previsto para as 20h do dia 13 de janeiro, mas o single “Sorriso de Amor” já está na programação da rádio Giro MPB e em todas as plataformas digitais.

O Giro MPB vem se destacando como um portal de música voltado para lançamentos digitais,  com o objetivo de divulgar, incentivar carreiras de novos artistas e valorizar a cultura brasileira. Potencializando a divulgação, marketing e comunicação desde pré-lançamento ao pós-lançamento musical em sua rede – Portal Giro MPB, Instagram e rádio Giro MPB.

 Serviço:
O que: Clipe Sorriso de Amor - Yves
Quando: De 08/01 a 31/01/2019 – antes da apresentação do dia
Quanto: Gratuito (incluso no valor do acesso a programação do dia)
Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos
Informações: 71 3329 2418/ Julie 71 99185 8627
Para saber mais: site Giro MPB  site Yves
Classificação: livre

Ficha técnica:
Artista: Yves
Autor: Yves Santana e Rubem Tavares
Produção: Yves Santana / Camila Oliveira
Direção e Edição: Évila Batista / Deivide Queirós
Apoio: Parque das Dunas de Salvador
Mídia Oficial: Giro MPB


Fonte: Ascom Teatro Gamboa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui