Livro barato é no SubMarino

1 de nov. de 2019

Novembro Negro 2019 no Teatro Gamboa




Pelo 5º ano consecutivo, o Teatro Gamboa Nova celebra o Mês da Consciência Negra, com produções artísticas pautadas na expressividade e força de sua cultura.


“Belezas Crespas” – Lipe Costa

Mais um ano do Novembro Negro no Gamboa Nova, com atrações que vão fazer você vibrar nesta história. De quarta a domingo, música, teatro, dança, artes em geral e muito mais.

Quem assina a Identidade Gráfica da programação é o fotógrafo Lipe Costa, de Alagoinhas, dentro do projeto Se Mostra Interior, valorizando a estética negra através da proposta “Belezas Crespas”.


No CineGamboa o trailer de “Samba Junino – de Porta em Porta”, Oba Cacauê Produções, que abre espaço para apresentar uma célula do documentário sobre o ritmo legítimo de Salvador, nas comemorações do mês da Igualdade Racial.

Ainda mais um mês da exposição “Pretas estão se Amando” de Annie Ganzala, “Soma-Afrontamento” do Coletivo João Ninguém (dia 01), as músicas de matriz africana da banda “Ofá” (dias 03, 10 e 17) e de Emillie Lapa e Elinaldo Nascimento em “Encontro de Orís” (06, 13, 20 e 27). 

Isa Trigo apresenta “Me Calarei Para Você em Todas as Línguas da Terra”, as quintas e sextas (07 a 29), com mitos do imaginário baiano. Também na Dança e Performance mais uma edição da “Mostra Etnografias Urbanas Subversivas”, em dois sábados (09 e 16), potencializando diversas linguagens.

Feira de Santana representa o Se Mostra Interior, projeto da Funceb em parceria com o Teatro, trazendo a Salvador o espetáculo “Encarceradas”, do Grupo Recorte de Teatro, apenas um fim de semana, 23 e 24, para falar do cárcere de mulheres, aproximando público e realidade. 

E, para fechar o mês, dia 30, “Cia Plural cultural canta Lauro de Freitas Bahia”, num resgate das tradições da música negra da região.
www.teatrogamboanova.com.br

Capa se Mostra Interior 
Belezas Crespas – Lipe Costa @lipecostafotografias
Fotógrafo de Alagoinhas registra projeto de valorização de moradores do Nordeste de Amaralina

Autodidata há quase seis anos, Lipe Costa desenvolveu as imagens do projeto “Belezas Crespas”, em parceria com o Nordeste de Amaralina (Denise Santos e Mai Meincke), para ressaltar a beleza do cabelo de crianças e adolescentes moradoras do bairro. 

O processo surgiu de um trabalho voluntário e as fotos ajudam a eternizar o resultado final, destacando o empoderamento e combate ao racismo. 

“Fiquei responsável por criar todo o conceito do ensaio e direção das meninas na sessão de fotos. Foi desenvolvida uma oficina por Denise e Mai, com vídeos, desenhos e debates sobre o cabelo crespo e a importância da identidade e representatividade” – explica o fotógrafo.

“Belezas Crespas” contou com participação de outros colaboradores voluntários como Adriele do Carmo, Samir do “vixevixe” e Rômulo Souza. As fotos foram feitas no próprio bairro, com vendas, bancas de frutas e ruas como composição. “O acolhimento dos moradores foi muito bom e o resultado final é que me apaixonei ainda mais pela fotografia, iniciando algo que já queria há muito tempo: ajudar as pessoas através da minha arte” – finaliza.

Serviço
O que: Identidade Visual Novembro Negro – Belezas Crespas – Lipe Costa
Onde encontrar: Programa Impresso no Teatro e lugares culturais de Salvador + Redes Sociais do Gamboa Nova
Endereço: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos (atrás do Passeio Público, ao lado do quartel)
Informações: 71 3329-2418 ou 75 99163 5306 (Lipe Costa)
Para saber mais: https://www.instagram.com/lipecostafotografias/ 

Ficha Técnica
Fotografia e conceito das fotos: Lipe Costa
Cabelo: Samir (vixevixe)
Maquiagem: Rômulo Souza
Apoio: Adriele do Carmo


CineGamboa
Trailer Samba Junino - de Porta em Porta – Oba Cacauê Produções 
Antes das apresentações
Documentário que integra as comemorações pelo mês da Igualdade Racial

Assinado pela cineasta Fabíola Aquino, que divide direção e roteiro com Dayane Sena, o documentário “Samba Junino – de Porta em Porta” exalta o ritmo essencialmente soteropolitano, reconhecido em 2018 como Patrimônio Cultural e Imaterial de Salvador. 
Para a promoção desta iniciativa, a Oba Cacauê Produções, em parceria com o CineGamboa, apresenta o trailer do documentário antes das apresentações do Novembro Negro 2019 do Teatro Gamboa Nova. A entrada está inclusa no ingresso da atração do dia, de quarta a domingo.
 A sonoridade e formas de apresentação do Samba Junino, em cortejo pelas ruas dos bairros populares, influenciam manifestações culturais e resgatam tradições nordestinas durante os festejos, em um movimento de resistência e luta da cultura negra.
O ritmo é oriundo dos bairros periféricos e com predominância da população negra, tendo inicio no final da década de 1970. Influenciou a formação da música baiana e contribuiu para dar visibilidade a artistas como Ninha, Tatau, Tonho Matéria, Xexéu, Márcio Vitor e os Irmãos Bafafé, entre outros, além da sonoridade marcante e letras melódicas ganharem as vozes de cantores como Daniela Mercury e Jorge Zarath.
Serviço
O que: CineGamboa – Trailer de Samba Junino – De porta em Porta
Quando: de 01 a 30/11/2019 (quarta a sábado 19h e domingo - 17h)
Quanto: incluso no valor do ingresso do dia - R$20 e R$10 (meia c/ comprovante) Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos (atrás do Passeio Público, ao lado do quartel).
Informações: 71 3329-2418 ou 71 99154-9442 (Márcio Lima)
Para saber mais: https://www.facebook.com/obacacaue/
Classificação etária: Livre

Equipe técnica do documentário
Diretora, produtora executiva e coroteirista: Fabíola Aquino
Codiretora, roteirista e diretora de produção : Dayane Sena
Diretor de fotografia: Robério Braga
Codiretor de fotografia, cinegrafista, finalizador de Cor: Rick Caldas
Finalizador de som: Gabriel Póvoas
Técnico de som direto: Pedro Garcia 
Montagem: Iris de Oliveira
Assistente de produção: Renata Almeida  

Exposição
Pretas estão se Amando – Annie Ganzala
até 30/11- das 16h às 19h (qua a sab) e 15h às 17h (dom)
Gratuito
Exposição entra em seu terceiro mês consecutivo, reforçando a importância das mulheres negras

Mais um mês das aquarelas da artista em torno da comunidade negra, sua espiritualidade e as conexões de vida das mulheres da diáspora. As telas podem ser vistas na Galeria Jayme Fygura, foyer do Teatro, de quarta a sábado das 16h às 19h e domingos das 15h às 17h.

Nascida em Salvador e encontrando sua expressão em aquarelas e graffiti, os temas de seus trabalhos se movem destacando mulheres lésbicas negras, na diáspora desde o Sul global. “Essas obras são dedicadas a todas que tiveram que romper muitas barreiras internas e externas colocadas pelo patriarcado, igreja e família, para viver o amor e, principalmente, si mesmas” – reforça a artista, que é historiadora por formação e se dedica ao estudo e vivências relacionadas a gênero na Bahia. 

Serviço
O que: Exposição Pretas estão se Amando – Annie Ganzala
Quando: de 01 a 30/11/2019 (quarta a sábado, das 16h às 19h + domingos das 15h às 17h)
Quanto: gratuito
Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos (atrás do Passeio Público, ao lado do quartel).
Informações: 71 3329-2418 ou 71 982195554 (Annie Ganzala)
Para saber mais: https://www.huffpostbrasil.com/entry/annie-ganzala-grafite-salvador_br_5c4625cbe4b027c3bbc4725a 
Classificação etária: Livre

Ficha técnica:
Realização: Annie Ganzala e Teatro Gamboa Nova 

Teatro
Soma-Afrontamento – Coletivo João Ninguém
01/11/2019 (sexta) – 19h
R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia) 
Depois de duas temporadas no Gamboa Nova, o grupo retorna em única apresentação

“Soma-afrontamento” é um espetáculo multissensorial e poético, que aborda o extermínio do jovem negro, a liberdade de expressão e a democracia. O público soteropolitano poderá acompanhar mais uma vez o Coletivo João Ninguém nesta experiência, no dia 01 de novembro, às 19h, abrindo as comemorações do Novembro Negro do Teatro Gamboa Nova.

Segundo Ailson Leite, que assina a direção, temas como filosofia, história, política, racismo, a violência contra a mulher, machismo, homofobia e empoderamento, também fazem parte do espetáculo. Na visão do coletivo, os telefones celulares, a TV e a mídia de um modo geral, perpetuam um deslumbre pelo sucesso e influem nas questões comportamentais. “São valores pré-estabelecidos na sociedade, nos jovens, o que vemos e o que não queremos ver e como podemos sair dessa caverna, despertar.” – completa o diretor.

O Coletivo João Ninguém é um grupo informal sem fins lucrativos que atua nas áreas de teatro e hip hop. Surgiu em 2006, idealizado pelo o ator e rapper Ailson Leite, composto por artistas independentes unidos pela utilização da arte como ferramenta de inclusão social, criando oportunidades e ajudando a profissionalizar artistas. 

Serviço:
O que: Soma Afrontamento – Coletivo João Ninguém
Quando: 01/11/2019 (sexta) 19h 
Quanto: R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia) – aceita cartão de débito e crédito/ bilheteria abre às 17h
Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos (atrás do Passeio Público, ao lado do quartel)
Informações: 71 3329 2418/ Ailson- 71 987495292
Para saber mais: http://coletivojoaoninguem.blogspot.com/  
Classificação etária: 15 anos

Ficha técnica:
Elenco: Alexandre França, Carol Almeida, Elisson Lopes, Fernanda Costa, Mariana Oxente Gente
Direção: Ailson Leite
Apoio técnico/artístico: Antonio Soares


Música
Banda Ofá no Gamboa Música Pôr-do-Sol
03, 10 e 17/11/2019 (domingos) – 17h
R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia) 
O show é composto de músicas repletas de referências da ancestralidade africana

A Banda Ofá apresenta seu show homônimo no Teatro Gamboa Nova, em três domingos do projeto Novembro Negro 2019 (03, 10 e 17), sempre às 17h, para que o público possa desfrutar da linda vista do palco para a Baía de Todos os Santos, ao som de ritmos de matriz africana.

O trabalho busca refletir sobre as tentativas de apagamento da cultura dos índios e africanos no Brasil, tendo a ancestralidade como base, seus aspectos rítmicos e poéticos, para através do som, do corpo e da palavra, levar até o público mensagens sobre identidade cultural, amor, autoconhecimento e resistência.

Nascida em 2015, a Ofá é uma banda soteropolitana formada por Luan Tavares (violão e voz), Paulo Pitta (saxofone e sintetizador) e João Paulo Rangel (Bateria). A sonoridade do grupo é norteada por quatro pilares essenciais: a música de matriz africana, a poesia, o rock progressivo e o freejazz. 

A apresentação conta ainda com as participações especiais de Alana Gabriela, integrante do programa Quabales e da Rumpilezzinho, e Dainho Xekerê, idealizador dos projetos Mãos no Couro e Orquestra de Berimbaus Afinados. 
Serviço:
O que: Show Ofá
Quando: 03 10 e 17/11/2019 (domingos) 17h 
Quanto: R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia) – aceita cartão de débito e crédito/ bilheteria abre às 16h
Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos (atrás do Passeio Público, ao lado do quartel)
Informações: 71 3329 2418/ 71 99413 3244 (Sabrina) 
Para saber mais: https://www.instagram.com/ofaoficial/ 
Classificação etária: Livre

Ficha técnica:
Violão e voz: Luan Tavares 
Saxofone e sintetizador : Paulo Pitta  
Bateria: João Paulo Rangel 
Produção: Sabrina Fiuza 
Técnico de Som: Isaac Neves
Iluminação: Iris Boa Morte
Assessoria de Comunicação: Jô Stella 
Cobertura Audiovisual : João Paulo Sebadelhe 
Designer: Lucca Soares
Participação especial : Dainho Xekerê  e Alana Gabriela 
Figurino: Pedro Batalha 

Música
Encontro de Orís – Emillie Lapa e Elinaldo Nascimento 
06, 13, 20 e 27/11/2019 (quartas) – 19h
R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia) 
O show fica em cartaz todas as quartas-feiras do Novembro Negro 

A cantora, percussionista e compositora Emillie Lapa e o músico e também compositor Elinaldo Nascimento (Elinas), unem suas trajetórias no show “Encontro de Orís”, que perpassa pelo canto e a relação com os instrumentos percussivos e melódicos-harmônicos, numa experiência que celebra a ancestralidade.
 Suas criações retratam o sagrado, além de temáticas negras contemporâneas e políticas de afirmação identitária, fazendo uma ponte entre a África - terra mãe - e o Brasil. Além dessas similaridades entre os dois, os seus trajetos são demarcados por outra linguagem artística: o teatro, que assim como a música, impulsiona o fazer criativo desses múltiplos artistas, que celebram suas histórias de resistência.
Para somar musicalmente nessa contação, a presença da baixista cachoeirana Riane Mascarenhas e do percussionista soteropolitano Dainho Xequerê, artistas comprometidos com a cena musical baiana. 
Serviço:
O que: Show Encontro de Orís – Emilie Lapa e Elinas
Quando: 13, 20 e 27/11/2019 (quartas) 19h 
Quanto: R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia) – aceita cartão de débito e crédito/ bilheteria abre às 17h
Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos (atrás do Passeio Público, ao lado do quartel)
Informações: 71 3329 2418/ 71 99413 3244 (Sabrina) 
Para saber mais: https://www.instagram.com/ofaoficial/ 
Classificação etária: Livre

Ficha técnica:
Voz, percussão e cavaquinho: Emillie Lapa 
Voz, rabeca e violão: Elinaldo Nascimento
Percussão: Dainho Xequerê
Baixo: Riane Mascarenhas 
Registro de imagens: Heraldo de Deus
Técnico de luz: Natan Lemos
Técnico de Som: Jeferson Souza
Produção: Natalyne Santos


Teatro
Me Calarei Para Você em Todas as Línguas da Terra – Isa Trigo
07, 08, 14, 15, 21, 22, 28 e 29/11/2019 (quintas e sextas)- 19h
R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia) 
Autora e atriz apresenta o resultado de sua residência no Instituto Sacatar

Com texto, roteiro e interpretação de Isa Trigo, o espetáculo “Me Calarei Para Você em Todas as Línguas da Terra”, estreia dentro do Novembro Negro do Teatro Gamboa Nova no próximo dia 07, às 19h, permanecendo em cartaz as quintas e sextas do mês, até o dia 29.

A obra, parte do projeto Protocolo das Águas, composto também por escrita teatral, minidocumentário e livro digital, trata do mito das sereias, em especial das lendas e histórias trazidas a partir da ilha de Itaparica. Esse mito, que atravessa o imaginário baiano e feminino, trazendo a condição da mulher que intui o seu poder, a partir do atravessamento de imagens.

O texto do espetáculo foi produzido no Programa de Residência Artística do Instituto Sacatar, realizado em 2018, para o qual a artista foi convidada. A pesquisa que dá origem a texto e ao espetáculo foi realizada em Itaparica, no contato com a natureza, as lendas, a observação das marés e seus elementos, o cotidiano da região.

Além disso, a experiência permitiu conversas com a comunidade local e do candomblé da Ilha e de Salvador. Ao final do programa, durante o Open Studio, Isa apresentou para a comunidade a performance “Na Casa da Sereia”, uma espécie de embrião para o que agora se desenvolve como espetáculo.

Serviço:
O que: Me Calarei Para Você em Todas as Línguas da Terra – Isa Trigo
Quando: 07, 08, 14, 15, 21, 22, 28 e 29/11/2019 (quintas e sextas)- 19h
Quanto: R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia) – aceita cartão de débito e crédito/ bilheteria abre às 17h
Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos (atrás do Passeio Público, ao lado do quartel)
Informações: 71 3329 2418/ 71 99317 9135 (Ariela) 
Para saber mais: https://www.facebook.com/pg/protocolodasaguas/
Classificação etária: Livre

Ficha técnica:
Texto, roteiro e interpretação: Isa Trigo
Direção: Maria Eugênia Millet
Produção e Assessoria de Comunicação: Ariela Dedigo
Cenografia e figurino: Isa Trigo
Assistente de cenografia e fotografia: Ariela Dedigo 
Vídeo: Isbela Faria
Design: Leandro Mendes
Iluminação: Nathan Lemos
Apoio Institucional: Instituto Sacatar
Apoio: Teatro Gamboa Nova

Dança e Peformance
2ª Mostra Etnografias Urbanas Subversivas – Núcleo EUs
09 e 16/11/2019 (sábados)- 17h e 19h
R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia) 
Trabalhos autorais de dança em interface com outras linguagens que abordam a temática negra e LGBTQ+

A 2ª Mostra Etnografias Urbanas Subversivas traz para o palco do Teatro Gamboa Nova, dentro do Novembro Negro 2019, um encontro e interação de artistas criadores que trabalham temas da cultura negra e LGBTQ+, suas intersecções, desenvolvendo uma rede de colaboração que constrói visibilidade e circulação dessas obras e artistas.

Inserida nas comemorações do mês da Consciência Negra, o evento aponta para questões de afetividade, ancestralidade e arte periférica, problematizando classe, raça e gênero, no ambiente de produção artística da dança.

A Mostra apresenta trabalhos que trazem como característica comum o mergulho nas experiências de ser em comunidades periféricas, se apropriando do termo "etnografia" para apontar a generalidade destas experiências, em sua maioria violentas e traumáticas, nas tentativas de circulação nos centros urbanos. Ao mesmo tempo sugere subverter esta ordem com estratégias de agrupamento.

Serviço:
O que: 2ª Mostra Etnografias Urbanas Subversivas – Núcleo EUs
Quando: 09 e 16/11/2019 (sábados)- 17h e 19h
Quanto: R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia com comprovante/ aceita cartão de débito e crédito) - bilheteria abre às 15h 
Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos (atrás do Passeio Público, ao lado do quartel)
Informações: 71 3329 2418/ Leo Luz –  71-988393908
Para saber mais: https://www.facebook.com/nucleoeus/ 
Classificação: 16 anos

Ficha Técnica:
Produção Geral: Leonardo Luz
Produção: Bruno Novais, Jordan Alves, Vinicius Revolti
Designer Gráfico: Bruno Novais
Artistas: Bruno Novais, Dj Pivoman (Italo Oliveira), Jordan Alves, Leonardo Luz, Maiara Silva, Octa (Luana Cordeiro), Rose Nascimento, Vinicius Revolti



Se Mostra Interior
Encarceradas – Grupo Recorte de Teatro
23/11/2019 (sábado) – 16h e 19h + 24/11/2019 (domingo) 17h
R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia) 
Espetáculo integra o projeto Se Mostra Interior, da Funceb em parceria com o Gamboa Nova

Espetáculo de Feira de Santana, “Encarceradas” será apresentado nas comemorações do Novembro Negro do Teatro Gamboa Nova, além de integrar o projeto Se Mostra Interior, que valoriza a produção cultural do Estado, com patrocínio da Funceb – Fundação Cultural do Estado da Bahia.

O público poderá acompanhar, dias 23 e 24 de novembro, a peça que retrata o esquecido ambiente carcerário feminino, de forma realista e espontânea, quebrando a quarta parede e convidando o público  a estar junto com o elenco no momento da atuação, entre risos, drama e muita emoção.

 “Numa sociedade machista onde a mulher busca direitos e ainda é oprimida, não é valorizada, existe aquelas esquecidas e abandonadas, as presas. Muitas histórias por trás das grades” - declara Fernando Souza, ator, historiador e diretor do espetáculo.

Segundo ele, é uma montagem que emociona, faz rir, leva o público a refletir junto com o elenco e dá uma ‘sacodida’ necessária na sociedade que vive a fingir que aquelas mulheres presas nem existem. “O que as levou ao crime? Como é o dia a dia? Encarceradas fala de abandono, da dor da saudade, da criminalidade e conta diversas histórias que muitos nem imaginam existir” - destaca.

Serviço:
O que: Encarceradas – Grupo Recorte de Teatro
Quando: 23/11/2019 (sábado) – 16h e 19h + 24/11/2019 (domingo) 17h
Quanto: R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia com comprovante/ aceita cartão de débito e crédito) - bilheteria abre às 15h 
Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos (atrás do Passeio Público, ao lado do quartel)
Informações: 71 3329 2418/ 75 99131-4527 – Fernando Souza
Para saber mais: https://www.youtube.com/watch?v=3-NcKYLov7o 
Classificação: 14 anos

Ficha Técnica:
Texto, direção, cenografia e sonoplastia: Fernando Souza
Iluminação: Júlia Lorrana
Elenco: Aníbal Bastos, Bruna Luz, Daiane Cruz, Thainan Leal, Carol Acos, Elidiane Souza, Jailton Nascimento, Tatiane Alves.
Figurino: Vilma Bahia
Maquiagem: Neide Kocca


Música
Cia Plural cultural canta Lauro de Freitas Bahia
30/11/2019 (sábado) – 19h
R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia) 
Um pouco mais da cena cultural e da música negra de Lauro de Freitas

O show “Cia Plural canta Lauro de Freitas” é um resgate das manifestações culturais da antiga Freguesia de Santo Amaro do Ipitanga, hoje município de Lauro de Freitas, mantendo as tradições e usando também uma roupagem moderna. Única apresentação dia 30, encerrando o Novembro Negro do Teatro Gamboa Nova, às 19h.

Estar em um espaço cultural da capital representa uma ampliação da possibilidade de difusão e registro da cultura de Lauro de Freitas, retransmitindo a rica herança de seus mestres populares. 

 “Queremos provocar nas pessoas o desejo de conhecer a cultura popular e as belas paisagens do município” – explica o idealizador Pedro Paulo Prata, que é o produtor musical e pesquisador da cultura baiana. 

Prata formou a banda Flor da Manhã e passou por renomados grupos, entre eles a Banda Top 69 e Papa-Léguas. Tocou em muitos carnavais e micaretas, onde ampliou seu conhecimento prático-musical. No inicio do movimento Axé-Músic, participou da Banda Tomalira e se apresentou em diversos estados do Brasil. Já no inicio dos anos 2000, começou a se dedicar ao repertório MPB, se apresentando em diversos hotéis e bares da capital baiana.

De acordo com ele a base do processo criativo da Cia Cultural Plural é a composição também de músicas com mensagens diretas e de fácil assimilação e síntese, resultado de suas pesquisas como criador de jingles publicitários.

 Serviço:
O que: Cia Plural Cultural canta Lauro de Freitas Bahia
Quando: 30/11/2019 (sábado) – 19h
Quanto: R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia com comprovante/ aceita cartão de débito e crédito) - bilheteria abre às 17h 
Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos (atrás do Passeio Público, ao lado do quartel)
Informações: 71 3329 2418/ 71 99387 - 5575 (Paulo)
Para saber mais: https://www.youtube.com/watch?v=kg7zRCGRSlQ 
Classificação: Livre

Ficha Técnica:
Teclado e direção musical: Pedro Paulo Prata
Guitarra:  Dimy Guitta 
Baixo: Kuringa 
Bateria: Denis 
Percussão: Zamõa 
Vocal: Peu Nunes / Assessor de imprensa: Synwall

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui