21 de nov de 2018

Mokambo dia 22 de novembro no Parque do Saber de Feira de Santana


Exibição em Feira de Santana dia 22, no Parque do Saber, 18:30, entrada gratuita.

"Tive a honra de participar deste filme como co-roteirista e também com algumas imagens." - Edson Borges.


‘MOKAMBO’ E A INFLUENCIA CULTURAL BANTU NO BRASIL

A rica influência da cultura Bantu na construção da identidade do povo brasileiro é o tema do filme “MOKAMBO: Nguzu Malunda Bantu” (Força da Tradição Bantu), que tem exibição especial em Feira de Santana, no dia 22/11/18, às 18:30hs no Museu Parque do Saber, Rua dos Tupinambás, 275 - São João, Feira de Santana – Ba.

O documentário – 52 min. – retrata, com riqueza de detalhes e belas imagens do Brasil e da África, a vasta herança cultural trazida pelos povos de origem Bantu (maior número de escravizados no Brasil entre os séculos XVI e XVIII). Estas tradições deram origem à capoeira, ao samba, ao maracatu, ao maculelê entre outras manifestações culturais; aos quilombos, à culinária com dendê, às irmandades religiosas, ao candomblé, além de exercer uma grande influência na língua que falamos, que tanto nos diferencia do modo de falar nas outras nações de língua portuguesa. O filme, idealizado e dirigido pela cineasta Soraya Públio Mesquita, é patrocinado pelo Programa Petrobras Cultural 2016. Soraya também assina o roteiro em co-autoria com Edson Felloni Borges, atual secretário de Cultura de Feira de Santana. A realização é da DPE Produções, com produção executiva de Mauricio Xavier. A obra foi inspirada no Terreiro Mokambo, de nação Congo/Angola, tombado em 2016 em Salvador. Sob o comando do sacerdote Taata Anselmo Santos Minatojy,  o Terreiro abriga o espaço museológico Memorial Kisimbiê – Águas do Saber, premiado pelo IPHAN como espaço de Visibilidade e Manutenção da Tradição Bantu no Brasil.

MOKAMBO traz depoimentos de renomados especialistas como a Etnolinguista Yeda Pessoa de Castro – única brasileira a defender uma tese de doutorado na Universaidade do Zaire e consultora permanente sobre linguas africanas no Brasil, Portugal e África; o Doutor em Antropólogia Ordep Serra, a Doutora em Historia Vanda Machado, a Etnomusicologa alemã radicada na Bahia Katharina Doring que colaborou na tese de tombamento do samba; os músicos Mateus Aleluia (Ex Ticoãs), Tonho Matéria, Rá Nascimento, Jorge Magalhães e o maestro Ubiratan Marques da Orquestra Afrosinfônica; além do artista plástico Bel Borba, que costura o filme confecionando uma obra de arte em homenagem à forja do ferro, uma atividade trazida para o Brasil pelos povos Bantu.

Ficha técninca:

SORAYA PÚBLIO MESQUITA – Idealizadora, roteirista e diretora 
EDSON FELLONI BORGES – Co-roteirista 
TAATA ANSELMO SANTOS MINATOJY – Sacerdote do Terreiro Mokambo e Inspirador do filme 
MAURICIO XAVIER – Produtor Executivo 


Enviado por Edson Borges (Secel)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui

FNO

Sua marca no melhor lugar!