FNO

14 de mai de 2018

Estudo revela que apenas 7% das bonecas fabricadas no Brasil são negras


No Brasil, segundo o IBGE, cerca 50% da população se declara negra. No entanto, é a perceptível a ausência de bonecas negras nos pontos de vendas de brinquedos. Diante da necessidade de trazer esse debate à tona e incentivar a maior representatividade das crianças negras, a organização não governamental Avante, por meio da campanha “Cadê nossa boneca?”, analisou, pela segunda vez, fabricantes de brinquedos do país detectando que apenas 7% de todas as bonecas fabricadas no Brasil são negras.

Segundo especialistas, o processo de autoidentificação que acontece durante o processo de brincar fundamental para o desenvolvimento da autoestima das crianças. Considerando tais aspectos, a campanha Cadê Nossa Boneca nasceu em 2016, com o objetivo de chamar atenção sobre a falta de diversidade nas prateleiras das lojas brasileiras. Um dos principais desafios para a campanha foi encontrar dados sistematizados e precisos sobre a fabricação e comercialização de bonecas negras no mercado brasileiro. Com a intenção de entender as nuances desta situação no mês de julho de 2016, foi realizada a primeira pesquisa online analisando os sites de fabricantes e revendedores de brinquedos para levantar a quantidade de bonecas negras disponíveis para compra online.

Em março de 2018 o levantamento foi realizado pela segunda vez, na intenção de entender a evolução no processo de fabricação e venda de bonecas negras no Brasil. Novamente, foram analisadas as bonecas produzidas pelos fabricantes de brinquedos associadas à ABRINQ (Associação Brasileira de Fabricantes de Brinquedos), repetindo a metodologia utilizada no levantamento realizado em 2016. Foram visitados os sites de todos os associados e então contabilizados o total de bonecas negras e brancas em seus inventários. Do total dos agora 31 associados, 26 foram analisados. Cinco estavam com site fora do ar ou não eram fabricantes de bonecas. Abaixo a lista com o total dos fabricantes associados a ABRINQ segundo o site da associação em 2018:

1. BRINQUEDOS CARDOSO #
17. LONG JUMP     
2. BRINQUEDOS MIMO   
18. LUA DE CRISTAL
3. BUBA        19. MIELLE
20. MIKETAS BRINQUEDOS
4. BY KIDS/ CONTHEY    
21. MILK
5. BRINQUEDOS ZUCATOYS   
22. MULTIBRINK
6. BRINQUE FELIZ
23. ORANGE TOYS #
7. BRINQUEDOS HORIZONTE  
24. ROMA BRINQUEDOS
8. CANDIDE
25. SID-NYL
9. CORTEX  
26. SIDERAL
10. COTIPLÁS        
27. SUPERTOYS
11. DIVERTOYS     
28. TOROLI *
12. DODO    
29. TOY’S PELÚCIA *
13. ELKA      
30. TOYSTER *
14. ESTRELA         
31. YELLOW BR #
15. HOMEPLAY     
* Sites em manutenção
16. LATOY   
# Sites que não fabricam bonecas.


Do total dos 762 modelos de bonecas contabilizadas, apenas 53 eram negras, correspondendo a 7%. No levantamento realizado em 2016, foram identificados 1945 modelos de bonecas dos quais apenas 131 eram negras, totalizando um percentual muito similar ao deste ano, apenas 6,3 %. Ou seja, o cenário permanece praticamente o mesmo.

Dos 26 fabricantes de bonecas analisados, 14 possuem bonecas negras nos seus inventários. O fabricante com maior número de bonecas negras no inventário é o Milk com 12 modelos de bonecas negras, seguido por Roma Brinquedos com 8 bonecas. Nota-se que a prevalência de bonecas brancas continua muito superior nos portfólios dos fabricantes.

Revendedores - ecommerce
A segunda etapa da investigação consistiu em levantar dentre os principais revendedores de brinquedos online a quantidade de bonecas negras disponíveis para compra. Foram analisados os sites das empresas: Amercianas.com, Ri Happy e Walmart.com.

A quantidade de bonecas negras tem a pior situação encontrada nas Americanas, com apenas 19 de 560 bonecas negras (3%); depois Ri Happy, com 19 de 407 (4%) e Walmart, com 45 de 896 (5%). Do total das bonecas comercializadas

Em 2016 a situação estava muito similar. Em média, não mais que 3 % das bonecas disponíveis pra compra eram negras. A pior situação foi identificada naquele ano foi no site das Americanas.com onde no total de 3030 bonecas a venda, apenas 18 delas eram negras, representando apenas 0.6% do total.  No site do Ri Happy, das 632 bonecas comercializadas online, apenas 17 modelos eram de bonecas negras, enquanto no ecommerce do Walmart apenas 20 das 835 bonecas à venda eram negras. “Em todos os casos analisados fica clara a grande desproporção entre bonecas negras e brancas tanto na fabricação quanto na comercialização. Percebe-se que ao longo dos dois anos, quase nada evoluiu no que se refere a produção e comercialização de bonecas  negras no Brasil”, destaca Mylene Alves, uma das idealizadoras do projeto.


Enviado por Rafaela Ventura (Assessora de Imprensa)
Fonte: Viva Interativa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui

Sua marca no melhor lugar!