FNO

24 de abr de 2018

“Abril O CORPO” O mês do movimento no Teatro Gamboa Nova ano 2018




    Abril O CORPO e o que ele pode manifestar?
Ocupação Coato Coletivo

É o mês da Dança no Teatro Gamboa Nova, de 04 a 29 de Abril.
Preparamos uma parceria especial com o Coato Coletivo, um encontro criativo de artistas experimentais, com proposições cênicas, performáticas, sonoras, audiovisuais e de dança, lançamento de livros e diálogos sobre políticas culturais, mediação cultural e coreopolítica.
O movimento está aqui!


SOLOS E EXPOSIÇÃO
Mostra de Fotografias e Solos do projeto Corpo que Sufoca

A partir do dia 04, dentro do projeto Abril O CORPO 2018 do Teatro Gamboa Nova, a fotógrafa Rose Nascimento e os dançarinos Caique Melo, Nanda Rachell, Uz Cavalcante e Marcelo Moreira, realizam o projeto Corpo que Sufoca.
Trata-se de uma exposição fotográfica somada as performances Corpo que Sufoca, Identidade (dois trabalhos com o mesmo nome) e Psique A alma das sombras. A mostra visual fica aberta gratuitamente, durante todo o mês, na Galeria Jayme Fygura do Teatro, de quarta a domingo, a partir das 16h. As apresentações acontecem nas quartas, sempre às 20h, com ingressos a R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia).
Tendo em vista, a visibilidade da superfície do corpo x equilíbrio e desequilíbrio deste mesmo corpo, aqui neste projeto dança e fotografias se comunicam e dançam juntas. Utilizando performances como instrumentos de comunicação, potencializam-se os sentimentos de ansiedade, medo, frustração e angustia, sentimentos estes que nos sufocam cotidianamente.
 “Segundo o dicionário a palavra ‘sufocar’ advém da palavra sufoco, ou seja, tudo aquilo que oprime. Partindo deste princípio, direciono meu olhar para o corpo e suas vulnerabilidades. Corpo que sente, que fala, que resiste, que sufoca. Corpo este que é, e sempre será um dos veículos mais potentes para representar, expressar as inquietudes humanas.” – explica Rose Nascimento, esclarecendo também que cada artista dentro da sua linguagem, pode explorar suas vulnerabilidades e potencias, encontrando suas próprias inspirações.
Serviço
O que: Solos do Abril O Corpo – Identidade + Identidade + Corpo que Sufoca + Psique A Alma das Sombras
Quando: 25/04/2018 (quartas) - 20h
Quanto: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia com comprovante) – bilheteria a partir das 17h
Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos (atrás do Passeio Público, ao lado do quartel)
Informações: 71 3565-5645

O que: Exposição Fotográfica Corpo que Sufoca
Quando: até 31/05/2018 (quarta a sábado das 16h às 20h) + domingo (das 15h às 17h)
Quanto: gratuito
Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos (atrás do Passeio Público, ao lado do quartel)
Classificação: Livre

Ficha Técnica

Solos Identidade:
Concepção Cênica: Jorge Silva
Intérpretes: Nanda Rachell e Uz Cavalcante
Luz: Livia Tavares
Fotografia: Rose Nascimento

Solo Corpo que Sufoca:
Intérprete: Caique Melo
Provocador Cénico: Thiago Cohen
Projeção: Exposição Fotográfica
Video Projeção: Katson Freitas
Luz: Livia Tavares
Fotografia: Rose Nascimento

Solo Psique A Alma das Sombras:
Intérprete: Marcelo Moreira
Orientação: Clênio Magalhães
Sonoplastia e Edição de Vídeo: Marcelo Moreira
Fotografia: Rose Nascimento
Luz: Livia Tavares
Design: Marcelo Moreira

MOSTRA DE EXPERIMENTOS + BATE-PAPOS

Se você quiser...deixe sua lembrança! no Abril O CORPO

O Grupo X de Improvisação em Dança comemora seus 20 anos apresentando-se no projeto Abril O CORPO - Ocupação Coato Coletivo no Gamboa Nova, dia 26 (quinta), a partir das 19h. Se você quiser...deixe sua lembrança! é seu mais novo processo de criação, que propõem intervenções em todo o ambiente do Teatro.

A equipe explica que o espaço é repleto de pequenos cantos e cantinhos providenciais para a performance de dança. A proposta, de cunho itinerante, tem como ponto de partida  as trocas de experiências entre intérpretes e público espectador,  para compartilhar memórias dos 20 anos do Grupo X, que confabulam com lembranças pessoais dos artistas e também da plateia que coabitará o espaço cênico intervindo e deixando suas lembranças… se quiser.

A dramaturgia cênica irá observar o espaço em sua cotidianidade e as relações possíveis com o ambiente, interferindo na dinâmica local. “Destacamos a riqueza das trocas. Como afetamos e somos afetados pelos outros, o que nos modificam e onde se encontram as nossas ressonâncias? “ – completam os intérpretes. Um ambiente ficcional/real será instaurado em que dramaticidade e o humor se interpelam e se interpõem para expor o diálogo poético.

Serviço
O que:Mostra de Experimentos+Bate-papo Se você quiser...deixe sua lembrança! - Grupo X de Improvisação em Dança
Quando:,26/04/2018 (quinta) - 19h 
Quanto: R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia com comprovante) - bilheteria abre a partir das 16h
Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos (atrás do Passeio Público, ao lado do quartel)
Informações: 71 3565-5645
Classificação: Livre

Ficha Técnica
Direção artística: Fafá Daltro e Edu O.
Interpretes-criadores: Edu O., Fafá Daltro, Wilfrid Jaubert, Natalia Rocha, William Gomes, Daiana Carvalho, Taynah Melo, Iran Sampaio, Diane Portella, Aline Lucena, Greyce Spósito, Lucas Valentim.
Musicista: Talita Avelino
Cantora convidada: Andrea Daltro
Iluminação:Juliana Mendonça
Tecnologia: Natalia Rocha
Fotografia: Aldren Lincoln
Video: Daniel Guerra
Sonorização:Nei Lima
Designer Grafico: William Gomes
Coordenação deProdução: Rafael Rebouças
Assistente de produção: Joice Oliveira
Assessoria de imprensa: Luis Fernando Lisboa
Gestão de mídias sociais: Bia Bem

BATE-PAPOS CORPÓREOS + MOSTRA DE DANÇA AUDIOVISUAL

Mostra de Dança Audiovisual e bate-papo Deslimites

No dia 25, às 15h, o Abril O CORPO do Teatro Gamboa Nova, o mês da Dança, promove dois eventos em um. O [re]corte FºDA: Mostra de Dança Audiovisual, somado ao debate Deslimites. Para o Coato Coletivo, que assina a ocupação, é um modo interessante de conversar sobre esse fazer da dança para com as novas mídias e o que isso provoca no corpo e contexto social.

O que interessa na conversa Deslimites é frisar as motivações referentes ao acontecimento da mostra audiovisual de 2017, que destacou, em seu recorte de curadoria e debate, os corpos oníricos que se expressam por meio da tecnologia da imagem. As convidadas para este bate-papo são a fotógrafa Rose Nascimento e a pesquisadora do corpo estético contemporâneo Ivani Santana.

O [re]corte FºDA - Festival Ornitorrinco de Dança Audiovisual, neste dia, irá apresentar títulos como Si es necesario es preciso flotar (México), Conversas de Jardim (Colômbia), Promenade (Argentina), Tiempo (Equador), De cara al cielo (Colômbia), El reflejo de tu delírio (Equador/Colômbia) e Andaluz (Bahia). O Festival busca estreitar laços entre cinema e dança, promovendo um espaço de troca e debate acerca do que se está produzindo atualmente neste campo.

Serviço
O que: Bate-papo corpóreo Deslimites – com Rose Nascimento e Ivani Santana +
            [re]corte F°DA – Festival Onitorrinco de Dança Audiovisual
Quando: 25/04/2018  (quarta) – 15h
Quanto: R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia com comprovante) - bilheteria abre uma hora antes

Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos (atrás do Passeio Público, ao lado do quartel)
Informações: 71 3565-5645
Para saber mais: deslimitesmediacoes@gmail.com  / 71 9118-3755 Ana Brandão
Classificação: Livre

Mais mostra de Dança Audiovisual no Abril O CORPO

Para completar as exibições do dia último dia 25, no dia 28 (sábado), a partir das 15h, o FºDA - Festival Ornitorrinco de Dança Audiovisual, volta a apresentar mais videos no Abril O CORPO do Teatro Gamboa Nova – Ocupação Coato Coletivo. Será o seu segundo programa, que conta agora com o recorte Corpos políticos / outros corpos / outros cenários.

Neste dia os filmes Laje do Céu (Léo França_Bahia),Mergulho (Pedro Sena Nunes_Portugal), Paixão Nacional (Gabriela Leite, Lucas Valentim e Márcio Nonato_Bahia), Las tunas: retrato de un pueblo (Ximena Monroy e Paola de la Concha_México) Mulher Seca (Nirlyn Seijas e Eline Gomes_Bahia), Aurora (Flávio Bueno, Fernanda Fonseca, Arieli Batista, Luana Fulô e Eron Pimenta_Bahia), Sensações Contrárias (Amadeu AlbanJorge AlencarMatheus Rocha_Bahia) e En silencio (Dixon Quitian e Teofilo Mercado_Colômbia).

O [re]corte FºDA - Festival Ornitorrinco de Dança Audiovisual, dá visibilidade às relações já construídas localmente entre dança e vídeo e também mostra um recorte dessa dança audiovisual latino americana. Teve seu início em 2017 em parceria entre Deslimites e Circuito Saladearte e atualmente foi convidado para fazer parte da programação do Coato Coletivo Gamboa Nova ocupação, no evento  Abril O CORPO o que ele pode manifestar?

“Consideramos esta ocupação de extrema importância para alinharmos e partilharmos desejos, de mundos possíveis e feituras artísticas em um momento como o que estamos vivendo no Brasil, para seguirmos  acreditando na possibilidade do encontro” – destacam os organizadores.

Serviço
O que: [re]corte F°DA – Festival Onitorrinco de Dança Audiovisual
Quando: 28/04/2018 (sábado) das 15h às 17h
Quanto: R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia com comprovante) - bilheteria abre uma hora antes
Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos (atrás do Passeio Público, ao lado do quartel)
Informações: 71 3565-5645
Classificação: Livre

Ficha Técnica:
Organizadores: Ana Brandão, Nirlyn Seijas, Thiago Cohen, Naiara Rezende, Nefertiti Charlene Altan
Realização: Deslimites Mediações Artísticas

ESPETÁCULOS

O Work in Progress Úmido

Úmido, concepção e direção de Ivani Santana, integra a programação Abril O CORPO 2018 do Teatro Gamboa Nova. É uma performance que investiga as relações do corpo com a sonoridade e a visualidade para refletir sobre as relações humanas na Cultura Digital. A partir do estudo do corpo contemporâneo, busca-se explorar a percepção e as potencialidades do corpo físico, do corpo de imagem e do corpo sonoro, através da mediação tecnológica.

O corpo é apresentado em seu diálogo com a cidade, com o outro e consigo mesmo. A trilha sonora da performance é composta pela paisagem sonora da cidade e pelas sonoridades dos corpos ali inseridos. A obra é uma configuração artística organizada como um sistema no qual tudo e todos fazem parte para fruir as
paisagens sonoras, a integração corpo-imagem e as propostas de interatividade, propondo assim um momento de escuta, de cinestesia e de presença compartilhada, em que os artistas envolvidos servem como condutores para uma experiência do sensível.

Em dezembro de 2017 foi apresentado como um work in progress no evento UTOPIAS, realizado no Teatro Martins Gonçalves, Salvador, Bahia.

Serviço
O que: Work in Progress Úmido – Ivani Santana
Quando: 27 e 28/04/2018 (sexta e sábado) – 20h
Quanto: R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia com comprovante) - bilheteria abre às 17h
Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos (atrás do Passeio Público, ao lado do quartel)
Informações: 71 3565-5645
Para saber mais:  ivanisantana.mapad2@gmail.com / 71 9960-7688
Classificação: Livre

Ficha Técnica
Concepção e direção: Ivani Santana
Assistência de direção: Marcus Lobo
Corporalidades, imagens, sonoridades: Danilo Lima, Ivani Santana, Maria Magalhães
Tecnologia interativa: Francisco Barretto
Vestíveis; Giovani Ruffino, Juliana Porfírio
Fotografia: Marcelo Delfino, Paula Fróes

Sara Mandaia solta o som no Abril O CORPO 2018

A banda soteropolitana Sara Mandaia mostra seu som em dois domingos do Abril O CORPO 2018, dias 22 e 29, às 17h. No show Sandálias de Sambar eles mostram um pouco da filosofia do grupo, que é acreditar que a música é porta voz principal da vida em transmutação, desde o sentir que comove ao som do silêncio que conduz.

Sara Mandaia surgiu despretensiosamente em meados de 2017 numa fusão espontânea de amigos artistas. O compromisso é artístico, mas substancialmente político. Trata-se de uma lúdica metáfora sobre o fervor e a fluidez existentes nas relações sociais urbanas, relacionada à capacidade humana de ser contemplativo e abstrato, garantindo a subversão e transcendência do seu corpo físico/político nesses meios.

 Por isso mesmo, a banda faz referência a existência significada na capacidade de sentir, experimentar, se relacionar e gerar empatias para o auto-respeito.  O empoderamento do corpo físico/político advém da aceitação e do constante respeito a suas transformações.

É composta por seis integrantes rituais, com ritmos integrais: Éli Moreira com voz doce na viola;  Jono Lena com a graça pra vida no canto com mais de 7 cordas;  Beto Góis com o baixo cheio de História;  Pedrinho com os pés no fundo da guitarra viciada; para Marx, falta economia na Marxteria; a Raxta no truque do batuque da percussão.

 Banda no caminho da transição. Ritmo, discurso, canção. Transcendência nas palmas das mãos. Longe de qualquer preocupação, não fuja da raia. Saravá, Sara Mandaia !

Serviço
O que: show Sandálias de Sambar com a banda Sara Mandaia
Quando: 29/04/2018 (domingo) – 17h
Quanto: R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia com comprovante)
Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima 03, Aflitos (atrás do Passeio Público, ao lado do quartel)
Informações: 71 3565-5645
Classificação: Livre

Ficha técnica:
Voz e violão: Éli Moreira e Jono Lena
Baixo: Beto Góis
Guitarra: Pedrinho
Bateria: Victtor Marx
Percussão: Raxta
Produção: Eduardo Bastos
Maquiagem: JeisiEkê de Lundu e Midiã Andrade
Direção artística: Midiã Andrade e JeisiEkê de Lundu
Fotografia: Levi Mendes
Vídeo: Victor Mota
Mapping: Isadora Furlan
Técnico de Som: Lucas Gesteira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui

Sua marca no melhor lugar!