19 de abr de 2016

Qual o problema com o feminino?


Desde que uma presidente mulher assumiu o governo do Brasil e se denomina presidenta me refiro a ela assim. Os contrários, por birra, parece-me, chamam-na presidente.

Conheço muitas mulheres produtoras de poesia e que se denominam poetas. Apesar de dizerem que poesia não tem gênero, sempre achei mais bonito o termo poetisa que poeta. Assim como sempre quis que houvesse um papa mulher para poder usar a expressão papisa, que até hoje só pude remeter a Rita Lee.

Onde vivo acontece um carnaval fora de época chamado Micareta. Artistas, foliões e inclusive o secretário de cultura disse na “rádia” essa semana (veja como os menos normativos não tem problema com a expressão feminina) que o micareta, no masculino, será uma grande festa, etc. Micareta é um substantivo feminino. O que é que há com essa gente?

A axé music, epíteto dado por Hagamenon Brito, provavelmente nos anos 80, em princípio, pejorativamente, mas que depois de ter emplacado como um grande fenômeno abraçou com orgulho, é uma expressão feminina. A galera da minha Bahêa chama O axé, inclusive quem ganhou muita grana com ela.


Por fim me lembro das personagens. Desde criança acho interessante que os grandes atores masculinos de teatro, notavelmente mais estudados que os de televisão, aplicavam a “seus personagens masculinos” o gênero feminino, pois naturalmente, na língua portuguesa, os substantivos acabados em –agem são femininos: sabotagem, tatuagem, garagem, passagem, viagem, etc - inclusive piriguetagem, expressão pós-moderna que denota felicidade e irreverência.

Alguns estudiosos, gramáticos, linguistas, aceitam que personagem pode ser uma expressão tanto feminina quanto masculina. Talvez por influência da regra do francês em que as palavras terminadas em –age são masculinas.

No meu caso, estou sempre em defesa pra que a beleza das palavras seja mantida em aplicações importantes. E o gênero feminino, com grande contribuição nisso, notavelmente.   

Agora, quando for pedir um acarajé, por favor, peça no masculino. Mas se for pra aquele seu amigo que está desdentado, lembre, o acarajé é pra o homem banguela!



Por Caíque Marques

2 comentários:

Comente aqui

FNO

Sua marca no melhor lugar!