14 de dez de 2015

Caravana da Música seleciona artistas e promove difusão da música baiana

Foto: Natalia Arjones

Pluralidade e música de qualidade marcam a seleção de artistas para o projeto Caravana da Música, que escolheu nove artistas dos mais diferentes estilos musicais e locais da Bahia de um universo de 350 inscritos, com trabalhos enviados de 40 cidades baianas. Foram selecionados os artistas O Quadro, Scambo, Caim, Livia Mattos, Vivendo do Ócio, Samba Chula, Manuela Rodrigues, IFA Afrobeat, Kamapheu Tawa. Os shows acontecem no período de 6 de janeiro a 29 de fevereiro, nos municípios de Madre de Deus, Lençóis, Amargosa, Juazeiro, Senhor do Bomfim, Vitória da Conquista, Luís Eduardo Magalhães, Itabuna e Ilhéus. A abertura do projeto será no dia 9 de janeiro, com apresentação da cantora Larissa Luz, com seu show Território Conquistado, em Praia do Forte, no município de Mata de São João.


A iniciativa tem patrocínio da Telefônica Vivo e do Governo do Estado, através do Fazcultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, visa promover a interiorização da música baiana contemporânea, através da realização de 10 shows gratuitos em diferentes cidades. De acordo com Fernanda Bezerra, diretora da Maré Produções Culturais, os critérios definidos para avaliação dos artistas foram garantir a diversidade das propostas escolhidas, valorizar iniciativas que valorizem o diálogo entre ritmos e difundam a brasilidade com criatividade, além de contemplar propostas que demonstraram atenção com demandas técnicas e logísticas, bem como o reconhecimento do histórico e trajetória do artista/banda e dos seus integrantes. O Caravana da Música pretende atingir a um público de 30 mil espectadores, distribuídos em dez cidades baianas. De acordo com Fernanda, “a ação almeja se tornar um dos principais circuitos de difusão da música contemporânea da Bahia, por meio da ocupação de espaços públicos de forma criativa, buscando mobilizar a cidade para as apresentações musicais”.

“A Vivo acredita que é possível transformar as pessoas por meio da música, por isso investe em projetos como este, que incentiva novos talentos e permite ao público vivenciar um pouco da riqueza e diversidade cultural brasileira”, revela a Diretora de Gestão Responsável e Sustentável da Telefônica Vivo, Heloisa Genish.

Integraram comissão de julgadores das propostas Ivanna Souto, produtora cultural, Luisão Pereira, produtor musical e músico e Luciano Matos, jornalista e crítico musical. Para Luisão, o aspecto de garantir a difusão de artistas, muitas vezes desconhecidos do público do interior do estado, um dos mais importantes da ação do Caravana da Música. “O projeto tem um papel importante de levar às regiões músicas que normalmente não chegariam a determinadas cidades. O grande propósito é estimular a contribuição desses artistas na cena dos municípios, não de um modo extrativista, mas promovendo a troca de informações e aprendizados mútuos”.

Para Ivanna Souto, experiente na produção de música na Bahia, ao analisar os vários materiais enviados para o projeto, a surpresa se deu com o reconhecimento da diversidade da cena musical baiana atual. “O que me surpreende no Caravana é a diversidade de estilos, o alcance que o Edital alcançou: chegaram trabalhos que vão do funk da periferia ao heavy metal, com inscrições de grupos de várias partes da Bahia. Isso acabou nos trazendo uma rica informação, além de mostrar que a maioria dos artistas do presente sabem lidar com as ferramentas de editais, processos seletivos, o que indica uma maior profissionalização dos músicos, que conseguem conciliar essa característica com a qualidade da performance em palco e com o entendimento sobre a logística da produção cultural”. Para a produtora, o Caravana da Música acontecerá dentro de uma cena musical amadurecida e a escolha dos inscritos foi um exercício desafiador para curadoria.

O crítico musical Luciano Matos sinaliza que um fator decisivo para orientar a escolha da curadoria foi não somente valorizar nomes já conhecidos do público, mas potencializar trabalhos inéditos e menos conhecidos do público. “A verdade é que qualidade artística não é um problema quando falamos na produção musical baiana. O nosso problema é conseguir garantir que muitos desses talentos tenham espaço e visibilidade. Foi difícil demais escolher apenas nove representantes num cenário tão rico e diverso”.

A ação foi viabilizada pelo programa FAZCULTURA, Parceria entre a SecultBA e a Secretaria da Fazenda (Sefaz), o mecanismo integra o Sistema Estadual de Fomento à Cultura, composto também pelo Fundo de Cultura da Bahia – FCBA, CrediFácil Bahia (em parceria com a Desenbahia) além das linhas especiais de apoio, como os Pontos de Cultura e o Carnaval Ouro Negro. O objetivo é promover ações de patrocínio cultural por meio de renúncia fiscal, contribuindo para estimular o desenvolvimento cultural da Bahia, ao tempo em que possibilita às empresas patrocinadoras associar sua imagem diretamente às ações culturais que considerem mais adequadas, levando em consideração que esse tipo de patrocínio conta atualmente com um expressivo apoio da opinião pública.


Fonte: Secult Bahia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui

FNO

Sua marca no melhor lugar!